Portal Expressiva

NAS BANCAS EDIÇÃO DE JULHO


EVENTOS

Blogs e sites Parceiros

Happy Hour de Negócios

Previsão do Tempo - Epagri/Ciram

Núcleo de Engenharia e Arquitetura realiza mini palestra sobre comunicação

  • 13-07-2018
  • O Núcleo de Engenharia e Arquitetura da Associação Empresarial de Lages (ACIL) realizou na noite desta quinta-feira, 12/07, uma mini palestra sobre O Poder da Comunicação, com Marcius Machado.

    A comunicação é uma necessidade humana, através dela interagimos com nossos semelhantes e expressamos diferentes tipos de informação, mas nem sempre esta é uma tarefa fácil. Segundo Marcius, 41% das pessoas adultas tem medo de falar em público. “Há muitas técnicas que podem ser utilizadas para acalmar. Fazer um exercício aeróbico, ouvir uma música empolgante, pressionar alguns pontos das mãos são técnicas que acalmam pois liberam adrenalina. Mas para ter resultados essas atividades devem ser praticadas constantemente”, falou.

    Postura, tonalização de voz, gestos foram outras técnicas ensinadas por ele. “Uma das formas de poder é a postura. Postura reta, olhar sempre pra frente e respirar profunda e pausadamente, são mudanças que trazem resultados. A palavra isolada representa 7% da comunicação; tonalidade, dicção, ênfase, 38%; e postura corporal 55%”, finalizou.

  • Comentários
  • Chapecó recebe em agosto grande feira de aves e orquídeas

  • 13-07-2018
  • Chapecó e toda a região Sul do país, já se programa para a 29° feira de Pássaros e a 1° Feira de Orquídeas, que vai ocorrer de 8 a 12 de Agosto, na sede da Sociedade Oeste Catarinense de Ornitologia – Soco, em Chapecó (SC), com entrada gratuita.

    A feira que já faz parte do calendários de eventos da associação movimentou no ano passado, milhares de visitantes e curiosos de aves e plantas.

    Além de reunir os associados, a feira envolve adoradores de pássaros da região e de outros Estados. O evento tem por objetivo estimular a troca de experiências entre criadores e apresentar inúmeras espécies de pássaros aos visitantes. Para os que passarem pela sede da Soco durante os quatro dias de feira, também poderão conferir a beleza da 1° Feira de Orquídeas e levar para casa belíssimas plantas das mais variadas espécies. Mais de mil orquídeas floridas e cerca de 300 mudas estarão à venda.

    Grande colecionador de troféus e medalhas, o sócio e criador de pássaros, Isaldir Antunes de Almeida dedica 2 horas por dia para cuidar da criação. No quintal de casa, ele montou um verdadeiro viveiro de pássaros e o hobby virou uma paixão por cores, tamanhos, plumagem e espécies. “Controlo toda minha reprodução em uma planilha, lá consigo identificar a genética de cada ave e fazer os cruzamentos para atingir o melhor da espécie e coloração”, explica. Ele, que tem o Criadouro Recanto dos Pássaros, reproduz aves há mais de 20 anos e fala desta paixão em participar de campeonatos e colecionar premiações. “Não ganhamos nada em dinheiro por participar dos campeonatos, quem ama aves e faz esse trabalho que realizamos sabe que fazemos por hobby mesmo. É uma paixão”, comenta.

    A reprodução das aves exóticas domésticas é regulamentada pelos órgãos ambientais, que autoriza a reprodução para procriação das espécies que não são encontradas na fauna brasileira.

    Sobre a SOCO

    A Sociedade Oeste Catarinense de Ornitologia – Soco, foi fundada em 1989 por um grupo envolvido com a criação de pássaros. Reuniões mensais são realizadas com o grupo que conta hoje com cerca de 40 associados de toda a região.

    Com uma sede própria de 700 metros quadrados e estrutura de 4.500 gaiolas próprias, a entidade realiza de 3 a 5 eventos anuais aonde ocorre um aprimoramento maior dos seus  criadores e confraternização entre seus associados e diversos criadores do Brasil inteiro.

    Flavia Mota

  • Comentários
  • Casos sem urgência sobrecarregam o Pronto Atendimento Tito Bianchini

  • 13-07-2018
  • Entre os dias 1º e 7 de julho de 2018, foram realizados 1.870 atendimentos, destes apenas 189 foram classificados como urgentes

    Em média, entre 60% e 70% dos casos de pacientes que procuram o Pronto Atendimento Tito Bianchini (PA) são classificados como casos de pouca urgência. Dor de cabeça, náuseas, falta de ar, tontura, tosse e dor de garganta são alguns dos quadros clínicos mais comuns que dão entrada no PA. Muitos casos, considerados sem gravidade, acabam competindo com os que realmente precisariam de atenção naquele momento e aumentando o tempo de espera para atendimento.

    “A maioria destes pacientes deveria se dirigir diretamente às Unidades de Saúde, para ter o retorno da consulta e fazer o monitoramento do tratamento”, explica Pedro Iung, diretor técnico do Pronto Atendimento. A explicação é também um alerta. É que a superlotação no PA com pacientes que poderiam ser atendidos nas Unidades de Saúde compromete o fluxo de toda a estrutura, que por ser uma unidade de urgência e emergência, foi criada para atender pacientes em situações críticas, com sintomas incomuns e agudos.

    Para se ter uma ideia, entre os dias 1º e 7 de julho de 2018, foram realizados 1.870 atendimentos. Todos os pacientes que deram entrada, passaram pelo sistema de classificação que organiza o fluxo, por cores, conforme a gravidade da ocorrência. O tempo de espera para o atendimento médico pode ser imediato / emergência (vermelho), urgente (amarelo – até 60 minutos), pouco urgente (verde -  até 2h) e não urgente (azul – até 4h). No período apurado de uma semana, verificou-se que do total dos pacientes atendidos, 189 foram classificados como pouco urgente.  Outros 25 pacientes foram classificados como muito urgente.

    Se por um lado, o Pronto Atendimento não pode ser utilizado em substituição ao consultório médico por estar disponível 24h, o Tito Bianchini está sobrecarregado com uma outra demanda que compromete o fluxo de atendimentos: a falta de leitos hospitalares. Desde o dia 1º de julho, todos os leitos da emergência e das salas de observação feminina e masculina estão lotadas com pacientes aguardando internamento. A maioria idosos, com problemas respiratórios ou cardíacos, que chegam a ficar até quatro dias no PA aguardando um leito hospitalar. Durante o período em que permanecem na unidade, recebem toda a atenção, com exames, medicamentos e o mesmo acompanhamento médico que deveriam receber no hospital.

    Como tudo isso acontece simultaneamente, quem está do lado de fora, aguardando ser chamado para o atendimento, não faz ideia da correria para médicos, técnicos e enfermeiros para atender toda a demanda. “Não deixamos de atender ninguém que procura o Pronto Atendimento. Faremos isso sempre, mas é importante que as pessoas avaliem se de fato há necessidade de ir ao PA naquele momento ou se podem marcar uma consulta posteriormente”, destaca Iung.

    O Tito Bianchini dispõe de um banner na entrada do Pronto Atendimento com as classificações de risco e a previsão de tempo para atendimento médico conforme a prioridade.

  • Comentários
  • Inter confirma participação na Copa Santa Catarina, que terá 12 clubes

  • 13-07-2018
  • O Inter de Lages será um dos participantes da próxima edição da Copa Santa Catarina. A confirmação ocorreu no conselho técnico da competição, realizado na tarde desta quinta-feira na sede da Federação Catarinense de Futebol, em Balneário Camboriú.

    Neste ano, a Copa Santa Catarina terá 12 participantes, das séries A e B do estadual. Com o crescimento do torneio em relação à edição de 2017, quando quatro equipes entraram na disputa, os clubes serão divididos em dois grupos, com seis integrantes cada. Os confrontos serão em jogos de ida e volta dentro dos grupos. Os dois mais bem classificados passarão às semifinais da competição.

    O Inter ficará no grupo B, no qual também estão Almirante Barroso, Atlético Tubarão, Brusque, Marcílio Dias e Operário de Mafra. O grupo A terá Blumenau, Figueirense, Fluminense de Joinville, Hercílio Luz, Joinville e Metropolitano.

    A Copa Santa Catarina começa no dia 16 de setembro e vai até 25 de novembro. O campeão terá vaga na Copa do Brasil de 2018.

  • Comentários
  • História Ambiental e Vitivinicultura

  • 13-07-2018
  • Na quarta-feira, 11 de julho, o projeto História & Vitivinicultura realizou mais uma saída a campo, desta vez na Vinícola Abreu Garcia, em Campo Belo do Sul.

    Coordenados pelo professor Gil Karlos Ferri e o enólogo Leonardo Ferrari, uma turma de estudantes do Ensino Médio da Escola Padre Antônio Vieira, de Anita Garibaldi, realizaram uma saída a campo para conhecer o sítio arqueológico, e capela e a estrutura da vinícola. Através das explicações e interações, os alunos e convidados puderam compreender aspectos da história da ocupação humana do Planalto Catarinense e a transformação da sua paisagem, bem como a importância das vinícolas para o desenvolvimento socioeconômico e sustentável da região. Ao final da visitação, o pôr do sol na varanda da vinícola garantiu uma confraternização ao melhor estilo serrano: com frio intenso e quentão de suco de uva para aquecer a turma.

    Desenvolvido desde 2015, o projeto História & Vitivinicultura é considerado pelo Governo de Santa Catarina o maior case de inovação na rede estadual de ensino, articulando parcerias com instituições federais, pesquisadores e empresários do setor vitivinícola. 

    Fotos: Eduarda Amorim

  • Comentários
  • Livro "Raízes Centenárias de São Joaquim da Costa da Serra" quer somar na busca da história das famílias serrana

  • 13-07-2018
  • São Joaquim - O quebra cabeça de nossa história cada vez mais vai sendo construído por iniciativas de escritores como a Edinna Bernadete Pereira Figueiredo, que hoje sexta-feira, dia 13 de julho, faz o lançamento do Livro “Raízes Centenárias de São Joaquim da Costa da Serra”. O evento acontece no Salão do Tribunal do Júri da Comarca de São Joaquim, Fórum, na rua Domingos Martorano, 302, às 19h00, com entrada franca a todos os interessados por nossa história. Em Lages será feito o lançamento no sábado, dia 14, às 19h00, no Lages Garden Shopping.

    "Durante minha vida profissional atuando como extensionista da Epagri, trabalhei em diversos municípios  cujos moradores eram na maioria descendentes de Imigrantes alemães e italianos vindos para o Brasil nos anos de 1824 e 1875 respectivamente, e eles comentavam e  preservavam as suas origens étnicas e culturais.

    Tinham conhecimento de quem eram, de onde e quando seus ancestrais vieram para o Brasil. Inúmeras vezes fui questionada sobre quem eram meus ancestrais, e isso gerou muitas interrogações e até uma certa inquietação. 

    Este sentimento de não saber sobre minhas raízes  despertou uma necessidade de ir em busca destas informações. A principio a ideia seria pesquisar somente sobre os meus ancestrais, mas como venho de famílias antigas e numerosas (Nunes, Goulart, Marafigo, Feliciano Pereira, Figueiredo), que se entrelaçaram através de matrimonio com todas as demais famílias da região,  achei que seria melhor ampliar a pesquisa, e foi assim que surgiu "Raízes Centenárias de São Joaquim da Costa da Serra", que retoma as origens das antigas famílias que aqui chegaram a partir de 1766",  afirma a autora.

    “Espera-se que esta obra seja de grande relevância a comunidade, pois nela está documentada e registrada a genealogia das primeiras famílias que povoaram a Serra Catarinense a partir de 1766, relembrando um pouco de sua história, de seus costumes e de sua cultura. Espera-se também que este material sirva de instrumento de pesquisa para futuros pesquisadores em genealogia, e estudiosos sobre o assunto. E com certeza será grande importância para a história de São Joaquim e demais cidades da Serra Catarinense, uma vez que estas famílias contribuíram cultural, social e politicamente para o desenvolvimento da região”, declara Edinna.

    “Este livro retoma a origem das famílias, sendo que em muitas delas se consegue identificar o imigrante que deu início a mesma, e que chegou ao Brasil  em meados do século XVIII vindo da Península Ibérica. As pesquisas e a digitação do trabalho duraram cerca de 11 anos para serem concluídas e durante este período identificamos algumas das principais famílias que originaram o povo serrano, tais como: Almeida, Amaral, Andrade, Arruda, Borges, Camargo, Cândido da Silva, Carvalho, Cavalheiro do Amaral, Córdova, Cunha, Cruz, Esteves, Figueiredo, Goulart, Godoy, Marafigo, Mattos, Medeiros, Nunes, Oliveira, Pinto, Silva, Souza, Ribeiro, Rodrigues, Rosa, Vieira e tantas outras”.

    “As informações foram obtidas nos registros de batismos, casamentos e óbitos dos Livros de Assento de diversas paróquias do estado, Arquivos Públicos,  Museus, Cartórios, livros já publicados sobre genealogia, sites e através de depoimento de algumas pessoas, principalmente das mais idosas cujas memórias remontam a um passado mais distante, prestando informações importantes para a construção desta obra”, conclui a escritora.

    Quem é Edinna

    Edinna Bernadete Pereira Figueiredo, natural de São Joaquim-SC. Atualmente reside em Videira-SC, onde trabalhou na Epagri - Empresa de Pesquisa e Extensão Rural do Estado de SC como extensionista rural até 2016. Após esta data se dedicou exclusivamente a conclusão  das pesquisas do  Livro “Raízes Centenárias de São Joaquim da Costa da Serra”.

    Em breve pretendo visitar museus e arquivos, principalmente os da Torre do Tombo, onde se encontram informações anteriores a chegada destas famílias ao Brasil e partir daí desejo dar continuidade a essa pesquisa, na qual acredito encontrar dados históricos anteriores a vinda destas pessoas para o Brasil.

    Este é o segundo livro, o primeiro foi em 2007, “Esquecer Nossa História é Apagar Nossa Memória “ onde relata a saga dos imigrantes alemães vindos da região do Hunsrück, sudoeste da Alemanha no ano de 1824 que se estabeleceram em São Leopoldo-RS. No ano de 1923 a quarta geração destes imigrantes se estabeleceu na localidade de Sede Dona Alice, Tangará-SC.

    O Livro

    Título: “Raízes Centenárias de São Joaquim da Costa da Serra”

    Número de páginas: 710

    Formato: 21x28cm

    Valor: R$ 100,00

    Onde comprar: Mural Produtos Gráficos

    Lançamento São Joaquim

    Dia: Hoje, dia 13 de julho de 2018

    Hora: 19h30

    Local: Salão do Tribunal do Júri da Comarca de São Joaquim, Fórum,

    Rua Domingos Martorano, 302 - Centro

    Lançamento Lages

    Dia: Sábado, 14 de julho de 2018

    Hora: 19h00

    Local: Lages Garden Shopping - BR-282, 1015 – Guarujá

    Infos e fotos: Anselmo Nascimento/Mural

  • Comentários
  • Pedaladas da Celesc

  • 12-07-2018
  • Ao ocupar a tribuna para falar sobre o Projeto de Lei (PL) 97/2018, do governo do Estado, que trata da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de Santa Catarina para o exercício financeiro de 2019, o deputado Fernando Coruja ressaltou que “a LDO, criada na Constituição de 88, é uma ficção, ninguém respeita a LDO – o governo não respeita e o parlamento não fiscaliza”, resumiu ele.

    O caos nas contas do Estado na administração Raimundo Colombo voltou a ser citado por Coruja. “As pedaladas da Celesc, no valor de R$1 bilhão - manobra contábil executada no final de 2016 para viabilizar o pagamento dos salários. No final de dezembro de 2017 o ex-governador Colombo se utilizou de mais uma manobra, para tentar fechar as contas: editou a medida provisória (MP 218/17) publicada no dia 28 de dezembro, para permitir que a verba do fundo destinado aos hospitais filantrópicos fosse contabilizada no percentual mínimo que o estado precisa investir em saúde”.

    O deputado ressaltou que a sua maior preocupação é com o futuro e “essas pedaladas comprometem o futuro de Santa Catarina”.

    Coruja disse que “tem muita renúncia fiscal, algo podre no reino da Dinamarca e é necessário botar o dedo nessa caixa preta”. Ele lembrou aos deputados que por diversas ocasiões os parlamentares da Casa convocaram o então secretário da Fazenda para prestar informações sobre as finanças do Estado “sem sucesso”. Lembrou ainda que foi encaminhado pela Alesc Pedido de Informação (de sua autoria) sobre os três últimos REFIS implantados no Estado e como resposta foi dito que “as empresas beneficiadas, os débitos que ingressaram nos programas e os benefícios concedidos são protegidos pelo sigilo fiscal”.

  • Comentários
  • Prefeito Ceron sanciona lei que cede áreas de terra para a empresa Berneck

  • 11-07-2018
  • O prefeito Antonio Ceron sancionou no final da tarde desta quarta-feira (11 de julho) a Lei nº 4270, que autoriza o Poder Executivo municipal a ceder terras declaradas de utilidade pública, através dos decretos nº 15.269 e 15.515, à empresa Berneck S.A Painéis e Serrados.

    De acordo com o prefeito Ceron a medida tem a meta de ampliar o desenvolvimento econômico de Lages. São duas áreas localizadas na Fazenda Cruz de Malta, às margens da BR 116. Uma que pertencia à família Schroeder e outra da Seara Alimentos LTDA. Após esta etapa, a Procuradoria Geral do Município trabalha de forma imediata no processo de cessão pública para a empresa. “Iremos comunicar os empresários e investidores para que possam dar continuidade ao processo de instalação do parque fabril na cidade. Com muito trabalho e comprometimento de toda equipe conseguimos vencer as pendências judiciais para que possamos alavancar o desenvolvimento econômico de Lages”, disse o prefeito.

    A exemplo da unidade em funcionamento no município de Curitibanos, a Berneck deverá investir em Lages cerca de R$ 800 milhões, além da estimativa de 600 empregos diretos nos primeiros meses. A previsão é de R$ 650 mil por mês de retorno de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) com a movimentação de aproximadamente R$ 50 milhões em mercadorias. A Berneck será a terceira maior empresa arrecadadora de impostos em Lages, atrás apenas da Ambev e Klabin.

    Foto: Greik Pacheco

  • Comentários