Portal Expressiva

NAS BANCAS A EDIÇÃO DE FEVEREIRO


EVENTOS

Blogs e sites Parceiros

Nova Delegacia Regional de[...]

Previsão do Tempo - Climaterra

Maldaner cobra sensibilidade e agilidade do DNIT para as rodovias do extremo oeste catarinense

  • 08-02-2018
  • Diretor Geral do DNIT diz que 282 e 163 são pauta constante do órgão

    Em um vídeo divulgado pelo deputado federal Celso Maldaner na tarde desta quarta-feira (7) o diretor geral do DNIT - Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes,  Valter Casimiro Silveira explica que a BR 282 – trecho de Chapecó a São Miguel do Oeste e entroncamento com a 158 e também da BR 163 – no extremo oeste catarinense são pautas constantes do órgão. Isso porque os dois projetos terminaram em processos judiciais o que causou transtornos, abandono e atraso nas obras de recuperação.

    Maldaner foi ao órgão em busca de solução para a situação de calamidade em que se encontram os trechos citados. O parlamentar explica que devido ao encerramento de contrato com a empresa que realizava a manutenção e com as chuvas do mês de janeiro a situação ficou precária.

    Para o diretor, os trâmites estão em andamento, conforme divulgado em novembro, após o processo da BR 282 que estava sob judice ser encerrado com três votos favoráveis, dando permissão para a empresa vencedora da licitação dar continuidade na finalização do projeto para posterior execução. Já a 163 foi incluída no programa “Avançar” que prevê a retomada de obras inacabas, além de ser incluída no orçamento de investimentos da bancada federal para 2018 com o valor de R$ 12 milhões.

    Nesta semana, um trabalho paliativo está sendo feito nos trechos do extremo oeste. Os serviços de tapa buracos estão sendo feitos pela empresa que realiza a recuperação da BR 282 entre Chapecó e Ponte Serrada. O deputado espera a sensibilidade e a agilidade do órgão para iniciar logo as obras de recuperação total da BR 282 e 158, bem como a retomada das obras da 163.

     

  • Comentários
  • Aldo Schneider ocupa a cadeira de presidente da Alesc

  • 08-02-2018
  • O deputado Aldo Schneider (PMDB) reforçou seu compromisso com a eficiência e a economia de recursos públicos na gestão da Assembleia Legislativa de Santa Catarina. Ele tomou posse na tarde desta terça-feira (6) como o 49º presidente do Parlamento estadual no período republicano e ocupará o cargo até 31 de janeiro de 2019.

    A chegada de Aldo à Presidência foi possível graças à renúncia de Silvio Dreveck (PP), ocorrida também nesta terça, como parte do acordo político entre PP e PMDB para a divisão da chefia do Legislativo no biênio 2017-2019. Silvio foi eleito por unanimidade para a 1ª Vice-Presidência, que era ocupada por Aldo.

     Aldo fez vários agradecimentos durante seu discurso de posse. Fez questão de destacar a presença das autoridades de mais de 20 municípios do Alto e Médio Vale do Itajaí, que vieram acompanhar a sessão, além de nomes históricos de seu partido, como os ex-governadores Casildo Maldaner e Paulo Afonso, além dos presidentes dos diretórios municipais do PMDB e dos deputados Edinho Bez e Mauro Mariani. Os agradecimentos também foram estendidos a presidentes de outras legendas.

     O novo presidente elogiou o trabalho de Silvio Dreveck à frente da Presidência e ressaltou o compromisso de manter a parceria na gestão da Assembleia. “Quero reforçar aos demais colegas desse parlamento meu compromisso com a valorização da atividade legislativa e com a representação popular dos nossos mandatos. Sou convicto da importância do trabalho deste Parlamento como espelho político da sociedade catarinense”, declarou.

    Aldo reforçou a necessidade de parcerias com os demais poderes para o atendimento dos anseios da população. “Nossa gestão vai reforçar a eficiência e economia de recursos. Desde 2011, devolvemos mais de R$ 300 milhões ao Executivo. Sabemos das dificuldades que a sociedade enfrenta e este Parlamento continuará fazendo sua parte para a superação dessas dificuldades.”

    Sobre os trabalhos legislativos, ele manteve o compromisso de dar agilidade à tramitação dos projetos que são de interesse da população. “Na prática, vamos adotar um tom de trabalho que já começou a ser adotado há um ano, quando o deputado Silvio assumiu a Presidência”, reiterou.

    Os demais cargos da Mesa da Assembleia não foram alterados. Além de Aldo e Dreveck, integram a Mesa o 2º vice-presidente Mario Marcondes (sem partido), o 1º secretário Kennedy Nunes (PSD), 2ª secretária Dirce Heiderscheidt (PMDB), 3ª secretária Ana Paula Lima (PT) e 4º secretário Maurício Eskudklark (PR). O mandato deles também vai até 31 de janeiro de 2019.

     

     

    Foto: Guto Kuerten

  • Comentários
  • Biblioteca Pública Municipal é beneficiada com trabalho voluntário de adolescentes

  • 08-02-2018
  • Uma comunidade pode alcançar índices surpreendentes quando públicos de distintas faixas etárias se mobilizam para elevar seu grau educacional, literário e intelectual. É um trabalho árduo desenvolvido nas escolas, igrejas, grupos ideológicos e deve ser cotidiano em outros tipos de ambiente. A leitura é um dos principais vieses de abertura para a interpretação, compreensão e dimensionamento rumo a um futuro promissor ao considerar o contexto da ilimitação física e psicológica. Portanto, pode-se chegar mais longe através das capacidades exercidas com a colaboração direta das histórias contidas nas páginas de um livro, além de se ampliar o vocabulário, a percepção do mundo em si e as habilidades neurológicas, de raciocínio, cognitivas e memoriais. A Biblioteca Pública Municipal Carlos Dorval Macedo é uma prova da união de esforços em favor da educação de forma evoluída e aprofundada. Nos dias atuais, com a invasão das redes sociais na vida do planeta, todo dia é de desafio para atrair a atenção de crianças e adolescentes às histórias no papel. 

    A bibliotecária Wemylinn Andrade e a responsável por projetos na Biblioteca Municipal, Rosangela Raitz, alimentavam a ideia de ser desenvolvido um projeto de voluntariado devido ao interesse de alguns leitores. Foi quando uma aluna chamada Júlia, na época frequente do 2º ano do ensino médio, sugeriu uma parceria entre a Biblioteca e o Colégio Santa Rosa de Lima, já que a instituição prevê que os estudantes cumpram 40 horas de voluntariado como requisito parcial de aprovação no ensino médio. 

    O trabalho voluntário é definido pela Lei 9.608/1998 como a atividade não remunerada prestada por pessoa física e entidade pública de qualquer natureza, ou à instituição privada de fins não lucrativos, que tenha objetivos cívicos, culturais, educacionais, científicos, recreativos ou de assistência social, inclusive mutualidade.

    O projeto Ação Voluntária, desenvolvido na Biblioteca Pública, tem por objetivo proporcionar aos voluntários conhecimentos específicos em relação ao trabalho realizado no local e todo acervo. As atividades desempenhadas pelos voluntários na Biblioteca são as rotinas de trabalho, como auxílio na guarda de livros, leitura de estantes, organização de layout e atendimento ao público. “Os alunos auxiliaram também no desenvolvimento de uma logomarca para a biblioteca, o nome do projeto e as artes gráficas para divulgação dos trabalhos internos - com dicas sobre a disponibilização de protetores auriculares para concentração na leitura, Wi-Fi, devolução de livros e passo a passo sobre a carteirinha. A participação dos alunos é excelente para o nosso trabalho”, reitera Rosangela Raitz.

     

    O começo

     

    Em setembro de 2017, os alunos Francine, Júlia, Luísa e Vítor iniciaram no projeto. As atividades são realizadas entre duas e quatro horas semanais, com ajustes conforme o horário de aula de cada estudante. Em dezembro foi a vez de a aluna Laura ingressar no projeto. No primeiro mês deste ano os voluntários aproveitaram o tempo livre das férias para finalizar as horas obrigatórias.

     

    Interessados

     

    O projeto segue aberto e não há data limite para término. Os alunos e leitores interessados devem procurar a Biblioteca para informações adicionais. “Em janeiro deste ano tivemos o dobro de empréstimos em relação ao mesmo período de 2017, assim como novos cadastros e leitores frequentadores do espaço, um reflexo do apoio da sociedade”, comemora Rosangela.

     

    Carteirinha para empréstimo

     

    O leitor tem direito ao empréstimo de quatro livros do acervo geral e mais quatro da literatura infanto-juvenil por até dez dias, podendo ser renovado quantas vezes forem necessárias. A prorrogação pode ser solicitada pessoalmente ou por telefone.

    Para ter acesso basta dirigir-se à Secretaria da Biblioteca portando um documento com foto e preencher o formulário informando número de RG, CPF, endereço e CEP. Há uma contribuição espontânea de R$ 6 por ano. O cadastro vale por um ano e assim que vencer poderá ser renovado. 

    A Biblioteca Pública, coordenada pela Secretaria da Educação, possui aproximadamente 50 mil exemplares. Está localizada no Parque Jonas Ramos (Tanque) e funciona de segunda a sexta-feira, das 8h ao meio-dia e das 14h às 18h. Contato: 3223-8057.

  • Comentários
  • Calendário Regional de Eventos é prioridade do turismo

  • 08-02-2018
  • Gestores de turismo das prefeituras abrangidas pela Amures e membros do Conselho de Turismo da Serra Catarinense – Conserra discutiram na tarde desta quarta-feira (07), como procederão com o Calendário Regional de Eventos de 2018.

    O assunto foi dos itens da pauta que abordou, ainda, a continuidade do Levantamento Turístico dos Municípios que está em curso; Festival de Inverno 2018; Projetos para área de Turismo e Eventos; Participação em Eventos e dentre outros assuntos, cursos e capacitações.

    A reunião no auditório da associação de municípios foi a primeira do ano e a secretária executiva da Amures Iraci de Souza deu as boas-vindas em nome do presidente da Amures prefeito de Urubici Antônio Zili. “O desafio de desenvolver o turismo é permanente e um compromisso da Amures. Teremos muito trabalho esse ano focado no planejamento e ações de turismo”, disse.

    O presidente do Conserra, o empresário Daniel Camargo Klein estava recepcionando um grupo de turistas em sua fazenda e não conseguiu chegar a tempo para a reunião. E a condução da pauta ficou a cargo da secretária executiva do Conserra e assessora de turismo da Amures Ana Vieira.

    Ela iniciou lembrando que em 2017, todos os municípios da Serra Catarinense foram cadastrados no Mapeamento Turístico Nacional e hoje, podem captar recursos para investimentos em infraestrutura. Os gestores foram orientados também, sobre a importância de manter os portais de turismo atualizado.

    A diretora da CDL Rosani Poccai, falou sobre o Festival de Inverno 2018 e a novidade que terá o evento com participação dos 18 municípios da Serra Catarinense. Os gestores de turismo definiram a data de 4 de abril para a próxima reunião com pauta focada nas estratégias de utilização de R$ 300 mil de emenda da deputada federal Carmen Zanotto.

     

    Calendário de eventos

     

    A equipe da Amures identificou para este ano, mais de 300 ações na Serra Catarinense com estrutura de pequenos, médios e grandes eventos. E a partir dessa semana começa a ser revisado para evitar choque de agenda, especialmente nos que tem o poder público como promotor.

    O Calendário de Eventos será repassado aos prefeitos para validação, antes de ter divulgação aberta. A partir da oficialização, os promotores e investidores dos eventos poderão iniciar negociações na preparação desses eventos, sem a preocupação de coincidência de datas.

    Os gestores dos municípios foram informados que poderão fazer o lançamento de eventos no Garden Shopping. “Temos um diálogo muito importante com a direção do shopping e abrimos essa possibilidade que é boa às duas partes”, informou Ana Vieira.

     

    Turismo em parceira com a Google

     

    O assessor de imprensa da Amures Onéris Lopes apresentou aos gestores, a situação do levantamento das potencialidades turísticas dos municípios.  Disse que a novidade para 2018 é uma parceria que está sendo firmada entre Amures e com a Google.

    A multinacional de serviços online e software dos Estados Unidos confirmou esta semana, a cessão de equipamentos para auxiliar o levantamento de campo dos pontos turísticos da Serra Catarinense.

    “Se trata de um recurso do Google Maps e do Google Earth denominado Google Street View, que possibilitará a captura de imagens panorâmicas de 360° na horizontal e 290° na vertical. Estamos apenas aguardando a chegada dos equipamentos”, anunciou Onéris Lopes.

    Com isso será possível que os usuários Google vejam os pontos turísticos da região de qualquer parte do mundo ao nível do chão. Hoje, o levantamento turístico está sendo realizado em Bom Retiro. Já foi concluído em Ponte Alta e Palmeira.


    Oneris Lopes 

  • Comentários
  • Carlos Wolff expõe no hall da Fundação Cultural de Lages

  • 08-02-2018
  • Carlos Alberto Wolff (52) é funcionário público estadual e amante das artes visuais. Ele fotografa há oito anos e é a terceira vez que expõe seus trabalhos ao público. A partir desta quarta-feira (7 de fevereiro), o hall da Fundação Cultural de Lages (FCL) cede o espaço para cinco imagens que registram a natureza e o cotidiano que muitas vezes são imperceptíveis aos olhos das pessoas, e esse pensamento Wolff consegue repassar para as suas obras. A exposição acontecerá entre 7 e 28 de fevereiro, de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 18h e estará aberta também ao meio-dia.

    Paralelo à exposição no hall da FCL, Carlos também apresenta a “ExpoFotos 2018” no Lages Garden Shopping. “O público que vir à Fundação Cultural poderá assistir o que a natureza da região nos proporciona. Não fotografo só em Lages, procuro registrar toda a região serrana que me acolhe desde 2003, e meu objetivo é compartilhar isso com as pessoas”, acredita o fotógrafo.

    Para o curador das exposições da FCL, Celso Cruz, Carlos é apaixonado pelo tema e a intenção é mostrar isso para os visitantes. “Já trabalhamos juntos em outras oportunidades. Ele foi vencedor do concurso ‘250 cores de Lages’ e segundo colocado em um concurso sobre a Mata Atlântica e agora retomamos essa parceria. Artistas como Carlos também podem expor seus trabalhos na FCL ou nos espaços de memória ligados à Fundação Cultural, como o Museu Thiago de Castro e Memorial Nereu Ramos. Para isso, a partir deste mês mesmo estaremos abrindo as inscrições para completarmos a agenda de março até o fim do ano”, informa.

     

    Serviço

     

    O quê: Exposição Fotográfica “ExpoFotos 2018”, de Carlos Wolff

    Onde: Hall da Fundação Cultural de Lages (junto ao Museu Histórico Thiago de Castro, 2º piso)

    Quando: de 7 a 28 de fevereiro

    Horários: das 8h às 18h, de segunda-feira a sexta-feira. Exposição aberta também ao meio-dia

    Informações sobre exposições - Celso Cruz, Departamento de Patrimônio Histórico e Cultural da FCL, 3224-7425

    Fotos: Fabrício Furtado

  • Comentários
  • Cresce a cadeia produtiva de truta na Serra Catarinense

  • 08-02-2018
  • Os pequenos produtores são os grandes responsáveis pelo crescimento da produção de truta na Região Serrana. Desde que o processo de estímulo foi iniciado, há cerca de seis anos, com a criação da Associação Catarinense de Truticultores (Acatruta), e com a instalação de uma indústria de processamento do peixe, em Lages, o setor deslanchou em mais de 30%. O pequeno produtor da localidade de Farofa, interior de Painel, André Farias é dos exemplos. Em 2017, ele produziu cerca de 3 toneladas. Este ano, está construindo novos tanques, e a produção dele deverá chegar a 10 toneladas/ano.

    Conforme relato do presidente da Acatruta, o empresário Vilso Isidoro, quando a entidade foi constituída, eram cinco ou seis criadores. Hoje, são 18 associados, estabelecidos por diversas regiões de Santa Catarina. “A facilidade com que a espécie se desenvolve na região é também um dos fatores que contribuem para o crescimento da produção”, reforça Isidoro.

    Segundo explica, a truta é uma espécie que está ganhando terreno na Serra Catarinense, uma região em que esses peixes conseguem ótima adaptação. No entanto, os produtores ainda têm grandes entraves para a produção em larga escala. Falta a eles disponibilidade de financiamento; sofrem com a descapitalização, pois, não possuem garantia para banco; assistência técnica é insuficiente; falta de renovação de reprodutores devido à proibição de importação de ovos, o que certamente levará a problemas genéticos. “Porém, esta realidade negativa pode mudar com o estabelecimento da Estação de Truticultura, de Painel, a partir de novas pesquisas, e que serão necessárias ao melhor desenvolvimento do setor”, ressalta.

    Mesmo com tantas dificuldades, os produtores catarinenses estão colhendo alguns benefícios, a partir do fortalecimento da Associação Catarinense de Criadores de Truta. Aos poucos, o número de associados aumenta, assim como a produção na região, hoje, calculada em cerca de 300 toneladas por ano. Em todo o Estado, o volume supera a casa das de mil toneladas. A instalação de um abatedouro de peixes na região (Belo Peixes) é a razão maior para o crescimento da produção de truta e de outras espécies, na Região, caso do jundiá.

    O dirigente e empresário Vilso Isidoro, argumenta ainda, que, por outro lado, buscando também demonstrar os benefícios e características nutricionais do peixe, os produtores estão sentindo o aumento do consumo. Um peixe de aproximadamente 30 centímetros e 250 gramas apresenta a condição ideal de consistência e sabor para ser consumido. Trata-se de um peixe exigente. Pois, só atinge o tamanho e o vigor necessários em ambientes saudáveis, com água pura, bem oxigenada, de baixa temperatura (entre 13 e 17 graus C), cristalina e corrente. Por isso a truta é um dos poucos peixes, cujo consumo, pode ser feito sem o risco de contaminação e muito rico em ômega 3.

  • Comentários
  • Matakiterani apresenta causos da Serra dentro de uma caixa

  • 08-02-2018
  • As histórias são curtas e os bonecos miniaturas. Tudo acontece dentro de uma caixa num espetáculo feito para uma única pessoa.  O teatro lambe-lambe da Matakiterani Associação Cultural terá três causos da Serra Catarinense. Quem quiser vivenciar essa experiência gratuitamente pode ir ao Centro Cultural Vidal Ramos, no Colégio Rosa, a partir das 20h deste sábado (10).

    Essa novidade surgiu da necessidade de reinventar a tradição oral e os causos da Serra Catarinense. “Fizemos uma pesquisa ouvindo os contadores de causo, elaboramos o cenário por meio de exercícios baseados na estética de arte naif e, por fim, chegamos a construção de pequenas histórias”, explica o produtor cultural, Adilson de Oliveira Freitas.

    No teatro lambe-lambe, as apresentações ocorrem dentro de uma caixa onde as histórias são encenadas por pequenos bonecos e de forma itinerante. As narrativas são curtas, duram no máximo dois minutos e meio.

    “Cada espetáculo é único porque é feito especialmente para aquela pessoa e naquele momento”, reforça Adilson, criador e diretor do espetáculo. Com fones nos ouvidos e os olhos mirando apenas a cena, o espectador pode fazer uma viagem em cada causo.

     

    As histórias

    “A burra, o piá véio e o homi du céu” é um causo adaptado de uma fábula de monteiro Lobato na qual se utiliza dos elementos da fala do lageano.

    “BAR baridade” é um autêntico causo serrano de um cavalo que bebia cerveja.

    “Boi Carambola” é um causo para maiores de 18 anos sobre um romance animal. 

     

    Catarinas Comunicação

    Fotos: Matakiterani/Marcos Coridioli 

  • Comentários
  • Assistência Social elege diretoria e define prioridades

  • 07-02-2018
  • O Colegiado de Assistência Social da Amures elegeu na tarde desta segunda-feira (05), a nova diretoria para o exercício 2018. Como presidente foi escolhida a assistente social de Anita Garibaldi, Samara Zanoni e vice, Elaine de Fátima Antunes Barbosa, de Otacílio Costa, que ocupava o cargo de presidente ano passado.

    A recomposição da diretoria do colegiado aconteceu no auditório da Amures e segundo o coordenador do grupo Lauro dos Santos, um dos primeiros encaminhamentos foi a programação de encontros dos assistentes sociais da região. “Nossas reuniões serão bimestral e itinerantes. A primeira está agendada para Anita Garibaldi em maio, com pauta a ser construída pelas demandas do colegiado”, explicou.

    Em sua manifestação como presidente, Samara Zanoni disse que a qualidade do serviço da assistência social é fundamental para a resolução dos problemas nos municípios. “Nosso desafio é associar a qualidade à valorização, assim como é prioridade a saúde e educação dentro das gestões públicas”, declarou Samara Zanoni.

    Como primeiro secretário do colegiado, foi escolhido o assistente social de Campo Belo do Sul Giovani Hoffer e segunda secretária, Deyci Aparecida Correia Pinheiro, de São José do Cerrito.

    O Colegiado de Assistência Social da Amures tem ação também através da Câmara Temática do Consórcio Serra Catarinense – Cisama. E pautou esta primeira reunião, com assuntos como os Planos Plurianual e seus respectivos prazos e a alteração das Leis Municipais de Assistência Social, com ênfase ao Fundo e Conselho.

    Discutiram, ainda, sobre as Conferências Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente, que acontecerá entre maio e novembro. No final da reunião foi montada uma comissão para elaborar o Plano de Educação Permanente da Política de Assistência Social, que norteará as ações do colegiado.


    Oneris Lopes 

  • Comentários