Portal Expressiva

EDIÇÃO DE DEZEMBRO NAS BANCAS


EVENTOS

Blogs e sites Parceiros

[Ver Mais]

Você está em Esportes

[voltar]

Saiba o que torcida e imprensa discutiram no encontro com a diretoria do Inter

Foram quase seis horas, em dois diferentes encontros, nos quais a pauta foi uma só: internacional de Lages. No último sábado, a diretoria e colaboradores do clube reuniram-se com a imprensa (pela manhã, na associação dos aposentados) e com torcedores (à tarde, na câmara de vereadores) para prestar esclarecimentos, ouvir críticas e sugestões. Veja a seguir um resumo dos assuntos tratados nos dois encontros:

Sorteio do carro
no último dia 19/11, o Inter fez o sorteio da ação dos amigos do leão baio. Foi um sorteio público e registrado em vídeos (disponíveis aos interessados). A ação oferecia um carro 0km e três prêmios em dinheiro. Não houve ganhadores no sorteio, mas isso não significa que o clube vai ficar com o veículo. O Inter quer entregar o automóvel para algum torcedor. Assim, surgiu a ideia de realizar um jantar de apresentação do elenco, no qual o carro será sorteado. O ganhador sairá do evento com o automóvel. O jantar está pré-agendado para o dia 11/1, na associação dos aposentados.

Uma ideia que saiu do encontro com a torcida foi de abrir o jantar tanto para quem for participar do sorteio do carro (e que, portanto, comprará um bilhete mais caro) quanto para torcedores que quiserem apenas participar do evento. Essa ideia, dada pela torcida, já foi acatada. Nos próximos dias o clube vai divulgar oficialmente valores do jantar, horário e pontos de venda.

Houve pouca adesão à ação entre amigos do leão baio. Foram arrecadados pouco menos de r$ 5 mil. Mas, ainda assim, a ação foi positiva para o Inter. Pouco mais de R$ 50 mil em bilhetes foram repassados à justiça do trabalho para abatimento de débitos antigos do clube. Os números sorteados na ação foram 51093 (quarto prêmio), 83719 (terceiro prêmio), 40764 (segundo prêmio) e 36611 (primeiro prêmio).

Débitos trabalhistas
Quando se iniciou o atual processo de reorganização do Inter de Lages, em 2013, os débitos trabalhistas somavam aproximadamente r$ 1,7 milhão. Eram dívidas que, em alguns casos, existiam havia mais de duas décadas. O clube fechou acordos com a justiça do trabalho para limpar gradativamente esse passivo – e eles têm sido cumpridos. O acordo atual prevê sempre uma parcela anual (parte da de 2017, por exemplo, foi paga com a rifa do automóvel). O Inter já pagou mais de r$ 450 mil a antigos atletas e funcionários. O débito, que era de R$ 1,7 milhão quatro anos atrás, é hoje de cerca de R$ 900 mil entre ações antigas e a deste novo período. Conseguiu-se abater aproximadamente R$ 800 mil porque, com o pagamento de R$ 450 mil, foram negociados acordos de desconto no valor nominal do débito.

Débitos tributários
Até o momento, o clube já conseguiu apurar um débito tributário de aproximadamente r$ 1,3 milhão. São débitos que, em muitos casos, existem há décadas. O departamento jurídico do clube já entrou com um recurso na procuradoria da república, em Joaçaba, para que se reconheça a prescrição de ao menos uma parte deles (em um dos casos, o clube identificou um débito que existe desde 1984). A próxima etapa desse trabalho será negociar o parcelamento desses débitos, assim como foi feito no caso das dívidas trabalhistas antigas.

Novos débitos: fornecedores e trabalhistas
nos últimos anos, surgiram novos débitos, trabalhistas e com fornecedores. No momento, eles somam cerca de r$ 800 mil. Esse acúmulo ocorreu em virtude, principalmente, da inadimplência de parceiros e alguns patrocinadores do clube (conforme se detalhará a seguir). Todo ano o clube elabora um planejamento com base nos contratos que ele tem assinados. Quando uma das partes não cumpre seu compromisso, a outra acaba comprometida.

Débitos com o clube
entre os grandes débitos que pessoas, empresas e entidades têm com o Inter estão os de dois patrocinadores (um de r$ 240 mil e um de r$ 150 mil), placas e muros (r$ 170 mil) e sócios (r$ 220 mil). A soma desses débitos principais (há alguns menores) é de r$ 780 mil. É praticamente o mesmo valor dos débitos recentes do clube. A diferença, de r$ 20 mil, é composta por débitos de menor monta. Isso evidencia que o planejamento foi comprometido pelo não cumprimento da parte que cabia a alguns de seus parceiros. Em alguns casos, o clube está buscando judicialmente o recebimento desses valores. Em outros, o Inter está negociando diretamente com os devedores.

O que o Inter está fazendo para solucionar a questão
o clube está negociando novos patrocínios e tratando da renovação dos atuais, além de estar em trabalho conjunto com os demais clubes que disputam o campeonato catarinense para a renovação do contrato com a tv para a transmissão da competição. Em paralelo, o Inter está negociando com quatro diferentes grupos, sendo três deles de investidores que demonstraram interesse em injetar recursos no clube. A contrapartida desses acordos é, em linhas gerais, a obtenção de fatias dos direitos econômicos de atletas que o clube revelar no futuro. E, para a alta inadimplência do plano de sócios, o clube já tem ao menos dois planos desenhados: a melhoria do plano de sócios, que ajude a manter o interesse do torcedor, e um esforço redobrado para que os pagamentos sejam feitos apenas com cartão de crédito (à vista ou em parcelas). Isso ajudará a reduzir a inadimplência.

Receitas
as principais fontes de receita hoje do Inter são cota de tv (r$ 400 mil), patrocínios (r$ 700 mil) e bilheteria (r$ 120 mil). O aumento do número de sócios inadimplentes fez com que o plano de sócios hoje represente hoje menos de r$ 50 mil anuais. Como o clube tem que compensar com receitas atuais a inadimplência recente de alguns de seus parceiros, o déficit é compensado com empréstimos feitos pela direção (em alguns casos, em nome de suas pessoas físicas, e não do clube). Esse é um dos menores orçamentos da primeira divisão do catarinense, o que não impediu o clube de disputar quatro competições nacionais nos últimos três anos e se manter na elite de Santa Catarina pelo quarto ano seguido, o que não ocorria havia mais de duas décadas.

Loja
o Inter está negociando a instalação de sua loja em um novo ponto; caso a negociação dê certo, ele deve ser aberto no início de dezembro. O clube desocupou o imóvel anterior porque o proprietário não teve interesse em renovar um acordo que o clube vinha cumprindo desde 2015: o de receber todo o aluguel no mês de janeiro, quando entra na conta do clube a primeira parcela da cota de tv. O Inter cumpriu religiosamente os acordos nos últimos anos, pagando os aluguéis até abril. Depois, no mês de janeiro seguinte, paga todo o débito acumulado de maio a dezembro.

Em paralelo com o plano da mudança de endereço, o arquiteto malek dabbous, do escritório all bekaa arquitetura e engenharia, trabalha no estudo de uma nova loja do clube, a ser instalada no estádio municipal. No espaço, o Inter pretende instalar loja, um café e também um memorial do clube. Já há parceiros para o projeto. Eles cederão material de construção. Esses parceiros já se comprometeram, até o momento, em ceder r$ 70 mil em material.

Material esportivo
o Inter já fechou acordo com uma nova fornecedora de material esportivo. Com isso, o clube espera solucionar uma das queixas da torcida, que era a falta de camisas para compra. O contrato será assinado nos próximos dias. Assim que for assinado, o nome do fornecedor será revelado. O primeiro lote de camisas para venda aos torcedores deverá chegar a Lages no dia 11 de dezembro.

Quem trabalha hoje pelo Inter
o colorado lageano tem hoje um grupo de trabalho atuante e com voz ativa. O grupo (ou departamento) jurídico tem quatro profissionais: Maurício batalha machado, Liliane Rossi, João lima e Mateus Paim. No grupo (ou departamento) médico estão Clóvis arruda vieira (clinitrauma), Antônio césar gamba (clinilages) e Paulo Roberto Waltrick (incor Lages). Rafael araldi é o diretor de comunicação, e nesse departamento faz dupla com o vice-presidente Patrick cruz. Jailton Paes encabeça o grupo de trabalho responsável pela área de patrimônio. Maurício batalha machado, Álvaro mondadori e Célio Bueno atuam ao lado do presidente Christopher Nunes na captação de patrocínios e negociação de parcerias.

O grupo está aberto. Todos os interessados em reforçar o Inter com seu trabalho e conhecimentos serão um reforço gigantesco para o clube.

Conselho deliberativo e consulados
o Inter tem um conselho deliberativo, mas pouco atuante. O clube lançará em janeiro um trabalho para reorganização do conselho, com a inclusão de conselheiros, que terão voz ativa nos destinos do clube e receberão tarefas práticas. É o caso, por exemplo, do projeto do centro de treinamento do clube, que não tem andado no ritmo que o clube gostaria por falta de pessoas para encabeçar a tarefa. O projeto do ct já tem um esboço, elaborado pelo arquiteto lageano Gabriel Ghiorzi. A maquete será apresentada em 2018.

O clube também pretende lançar o projeto dos consulados em bairros de Lages e cidades da região. É mais uma tarefa que precisa de conselheiros para encabeçá-la. Mas o projeto já está sendo desenhado.

 

Time: o que esperar em 2018
com a negociação de cota de tv e patrocínios ainda em andamento, o clube ainda não tem uma visão clara das receitas que terá na próxima temporada. Há novidades esperadas ainda para esta semana. Ao saber quais suas possibilidades de receita para o próximo ano, o Inter definirá o perfil do time que será montado. O clube já mapeou uma lista com mais de 60 atletas – e fez contato com parte dessa lista para apurar salários desses potenciais reforços. O Inter quer dar um salto qualitativo em sua trajetória, subindo de divisão no brasileiro e brigando por coisas maiores no catarinense. Mas, para isso, depende também do apoio de todas as partes envolvidas: torcedores, patrocinadores e parceiros.

Foto: Emellin Camargo

[Ver Mais Notícias]