Portal Expressiva

Blogs e sites Parceiros

[Ver Mais]

Você está em Geral

[voltar]

Curso para receber bem o cidadão

Para receber bem o cidadão em uma repartição pública inicial e basicamente se faz necessário que os funcionários estejam em sintonia e bem relacionados, independentemente das funções exercidas diariamente, aliado, obviamente, às capacidades técnicas de resposta aos questionamentos e reivindicações da comunidade. Uma estratégia foi estabelecida pela Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Turismo, com a escolha por uma manhã de sábado (9 de junho), das 8h às 12h30, para oportunizar momentos de convivência e cooperação entre os próprios colaboradores da prefeitura. A opção por um dia de final de semana é para não causar prejuízo ao atendimento à população, assegurada de segunda a sexta-feira. Em média são atendidas 150 pessoas por dia.

Participaram aproximadamente 30 funcionários, entre os setores da Secretaria na rua Sebastião Furtado, no Centro, sendo Desenvolvimento Econômico, Programa Qualifica Mais Lages, Sala do Empreendedor e Banco do Emprego, e a Diretoria de Turismo, na avenida Papa João XXIII, no Petrópolis. Uma análise SWOT da Secretaria foi elaborada para com a utilização desta matriz para identificar pontos fortes e fracos, oportunidades e ameaças de cada departamento. Análise SWOT é uma abreviação das palavras em inglês strengths, weaknesses, opportunities e threats, que significam forças, fraquezas, oportunidades e ameaças, respectivamente. Esta vivência foi adquirida a partir das atividades desenvolvidas junto ao Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), bem como ao Plano de Desenvolvimento Econômico Municipal (PDEM) e ao Plano Estratégico da Gestão Municipal (Pegem).

O secretário do Desenvolvimento, Mario Hoeller de Souza fez a abertura e encerramento, tratou de questões internas e exibiu um vídeo motivacional intitulado “Quem Mexeu no Meu Queijo?” - parábola sobre mudança, ideal para negócios, com quatro personagens, sendo dois ratos e dois humanos do mesmo tamanho dos roedores, moradores de um labirinto e à procura por queijo, uma metáfora daquilo que tanto se deseja obter na vida, seja um bom emprego, um relacionamento amoroso, dinheiro, entre outros. É um livro motivacional escrito por Spencer Johnson, sucesso mundial lançado nos Estados Unidos em 1998 e no Brasil em 2002.

O secretário explanou sobre a fundamentalização da agregação. “Foi bem produtivo, oportunidade de falarmos de coisas que podem acabar passando batido no dia a dia e cada um pôde explicar melhor o que acontece aqui dentro. O pessoal participou voluntariamente e a proposta foi bem aceita. A ideia era deixar de sermos servidores para compreendermos que somos sim funcionários, pois o funcionário é que faz funcionar. Houve uma vantagem suprema, o conhecimento intersetorial, pois estamos todos juntos e devemos saber o que o outro está fazendo na sua rotina. Há demonstrações claras de interesse que o setor funcione, seja o efetivo ou comissionado. Trabalhamos para que estejamos livres de acomodação”, esclarece Mario Hoeller.

Com o detalhamento da análise, durante a manhã de sábado, os serviços foram separados em grupos e realizou-se observação e diagnóstico da Secretaria como um todo e da própria seção. Portanto, agora os dados abordados pelos servidores serão compilados e posteriormente serão expostos a cada setor, e serão traçados os planos para melhoria dos pontos em um trabalho individual de subdivisões, além de abordagem de assuntos gerais da Secretaria.

Entenda mais sobre o método

Análise SWOT ou análise F.O.F.A. (Forças, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças) é uma ferramenta utilizada para fazer análise de cenário ou análise de ambiente, usada como base para gestão e planejamento estratégico de uma corporação ou empresa, mas pode, devido a sua simplicidade, ser utilizada para qualquer tipo de análise, desde a criação de um blog à gestão de uma multinacional. Consiste em um sistema simples para posicionar ou verificar a posição estratégica da empresa no ambiente em questão. A técnica é creditada a Albert Humphrey, que foi líder de pesquisa na Universidade de Stanford nas décadas de 1960 e 1970, utilizando dados da revista Fortune das 500 maiores corporações.

Fotos: Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Turismo

[Ver Mais Notícias]