Lages apresenta evolução nos índices socioeconômicos nos últimos anos

Por Luiz Del Moura

Equipamentos como o Aeroporto Regional, empresas, comércios, serviços, educação, agropecuária, entre outros setores contribuíram para alavancar os números do desenvolvimento. Entidades de classe a exemplo da ACIL reconhecem e comemoram os resultados

Na última semana Lages foi destaque nacional onde aparece em décimo quarto lugar entre as melhores cidades do país para se fazer negócios no setor agropecuário, entre as cinco melhores para se investir na área da educação e entre as cem melhores na indústria. Estes dados foram divulgados pela Urban Systems e Revista Exame. Nesta semana o presidente da Associação Empresarial de Lages (ACIL), Carlos Eduardo de Liz, apresentou estudos e números do desenvolvimento socioeconômico de Lages nos últimos anos.

Números do PIB (per capita) e IDH comprovam evolução

O Produto Interno Bruto (PIB) é a soma de todos os bens e serviços finais produzidos por um país, estado ou cidade, geralmente em um ano. Em Lages dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram o PIB da cidade em 5,6 bilhões de reais. Destes, 58,8% são do setor de serviços; 22,4% da indústria; 16% da administração pública e 2,7% da agropecuária. Mas, está no crescimento do PIB per capita (que é o valor médio agregado por indivíduo, em moeda corrente e preços de mercado, dos bens e serviços finais produzidos em determinado espaço geográfico, no ano considerado) a maior evolução nos números. Em 2020, última atualização do IBGE, o PIB per capita era de R$ 37.369,21. No ano de 2010 o PIB per capita foi de R$ 17 mil. Um crescimento de 119,8% neste período. “Claro que devemos levar em consideração os níveis da inflação neste mesmo período, mas o crescimento é bastante considerável”, compara, Carlos Eduardo de Liz.

Já com relação ao Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), que compara indicadores de países, estados e cidades nos itens riqueza, alfabetização, educação, expectativa de vida, natalidade e outros, com o intuito de avaliar o bem-estar de uma população, especialmente das crianças, os números locais também apresentam evolução significante.

No início da década de 90 o IDH de Lages era de 0,55; no ano 2000 de 0,67; e em 2010 (última divulgação) de 0,77. Em vinte anos o município apresentou um aumento de 40% na sua qualidade de vida. “Quando pesquisamos sobre IDH verificamos que Lages na década de 90 tinha índices que hoje, infelizmente, são de países do continente Africano. Podemos dizer que atualmente temos índices de cidades desenvolvidas”, ressalta o presidente da ACIL, Carlos Eduardo de Liz.

Aeroporto Regional do Planalto Serrano

O Aeroporto Regional do Planalto Serrano, inaugurando no ano de 2020, é um exemplo de equipamento que contribui para o desenvolvimento da cidade e região serrana. Segundo dados da empresa responsável pelos voos, no ano passado se registrou um total de aproximadamente 30 mil embarques e desembarques. A maioria destes passageiros são empresários, executivos de empresas e pessoas que fazem negócios em Lages, na região da Amures e até mesmo nos estados vizinhos como Paraná e Rio Grande Sul.

“Os voos no Aeroporto Regional são comerciais, quase que na sua exclusividade. Há também alguns casos de turismo. Se fazermos uma conta simples de investimentos deste público, se cada um investir R$ 5 mil teremos uma movimentação de R$ 150 milhões em possíveis negócios”, explica o presidente da ACIL, Carlos Eduardo de Liz. Ele faz ainda um comparativo com a população de Lages do número de embarques e desembarques no ano de 2022. “Se compararmos os números teríamos o que corresponde a cerca de 20% da população lageana embarcando e desembarcando no Aeroporto Regional”.

Ainda sobre o Aeroporto Regional do Planalto Catarinense, o presidente da ACIL lembra que falta uma homologação de uma das cabeceiras da pista para receber aeronaves jatos e a possiblidade de reaver as negociações com a empresa Gol Linhas Aéreas, sendo mais uma opção para os usuários. “No último sábado, quando o governador Jorginho Mello esteve em Lages, por intermédio da atual secretária de Estado da Saúde, Carmen Zanotto, conversamos, juntamente com o prefeito em exercício Juliano Polese, com o novo secretário de Estado de Infraestrutura Ricardo Grando, sobre estes assuntos do Aeroporto e logo deveremos ter retorno”, salienta.

Para o prefeito em exercício Juliano Polese é dever do poder público municipal fomentar e implantar políticas públicas que tragam o desenvolvimento social e econômico para o município. Novos investimentos privados com a oferta de mais empregos e renda para a população contribuem para o desenvolvimento local. “Lages vive um bom momento. Temos que continuar com os investimentos necessários, realizando obras físicas e sociais para o bem-estar de todos”, diz.

 

Informações: Carlos Eduardo de Liz

Texto: Ari Junior

Fotos: Toninho Vieira

Leia também

Deixe um comentário

18 + 14 =