Prefeitos visitam e aprovam usina de asfalto da Serra Catarinense

Por Luiz Del Moura

Localizada no Loteamento Novo Sul, bairro Ferrovia, a usina está sendo possível graças a parceria com a prefeitura de Lages que cedeu o terreno pelo prazo de concessão de uso de 20 anos, podendo ser renovado

Em uma semana, a usina de pavimentação asfáltica dos prefeitos da Amures inicia a operação técnica com produção de asfalto para recapear a rua João José Godinho, no bairro Frei Rogério. Foi o que definiram os prefeitos da Serra Catarinense, em reunião na manhã desta quarta-feira (27), na sede da entidade.

Após a reunião, o presidente da Amures e prefeito de Anita Garibaldi, João Cidinei da Silva, convidou os colegas prefeitos para conhecerem as instalações da usina. “Esse é um patrimônio de todos os municípios e fruto do esforço conjugado dos prefeitos”, declarou.

Nesta primeira operação, a unidade deverá produzir mais de 1.500 toneladas de asfalto, em que serão calibrados os equipamentos e componentes, desta que é a terceira usina do gênero em Santa Catarina. Idealizada através do Consórcio Intermunicipal Serra Catarinense (Cisama), a usina teve investimento superior a R$ 10 milhões, com recursos do programa SC+Asfalto, do Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade (SIE) e contrapartida dos municípios.

Instalada no bairro Ferrovia, a usina só está sendo possível graças à parceria de Lages, que cedeu o terreno com área de 3.108,56 metros quadrados. A usina de asfalto é uma das mais modernas e terá baixo custo de manutenção e sua gestão será compartilhada pelos municípios consorciados.

O presidente do Cisama e prefeito de São Joaquim, Giovani Nunes, agradeceu ao prefeito Antônio Ceron pela cessão da área e disse que a usina é a realização de um sonho de mais de uma década. “Nós, ainda não éramos prefeitos e já se falava nessa usina. Hoje, vemos se realizando um sonho de gestores, que tiveram coragem de iniciar esse processo que estamos dando continuidade”, reconheceu Giovani Nunes.

A visita técnica dos prefeitos serviu para que tenham ideia da estrutura que terão em prol de seus municípios. As demandas serão atendidas mediante projeto de engenharia e disponibilidade de recursos financeiros dos municípios interessados. Já estão na fila de espera: Otacílio Costa, Urupema e Palmeira.

Durante a reunião, alguns os prefeitos receberam o Plano Diretor de Desenvolvimento Territorial, supervisionado pelo Cisama, e projetos técnicos desenvolvidos pela equipe de engenharia da Amures.

Estrutura moderna

A usina de asfalto possui queimador com acionamento automático; elevador de arraste; silo de massa pronta de 1 m³; sistema de controle automático total via supervisório ou manual e dentre outros recursos; e cabine de comando climatizada.

A capacidade de produção é de 120 toneladas de asfalto por hora. Com os custos reduzidos nos serviços de pavimentação asfáltica de acessos e vias rurais e urbanas, a economia poderá chegar a 35%.

Essa economia é significativa para os municípios, pois a região possui uma malha viária municipal de mais de 12 mil quilômetros sem pavimentação e aproximadamente 100 quilômetros de rodovias estaduais, também não pavimentadas.

Leia também

Deixe um comentário

3 × um =