Justiça Restaurativa promove a cultura da paz em escolas e comunidades da Serra

Por Luiz Del Moura

A Justiça Restaurativa conquista cada vez mais espaço na Serra catarinense. Além do trabalho realizado com pessoas envolvidas em situações de violência doméstica, os círculos de construção de paz avançam agora às escolas e à comunidade. Nesta primeira quinzena de maio, os facilitadores do Núcleo da Justiça Restaurativa de Lages estiveram em duas unidades escolares – uma em Bocaina do Sul, em um projeto que envolve educação e paróquia local, e outra em Lages – para retomada das atividades.

O círculo de construção de paz realizado na Escola de Educação Básica Campos Sales, de Bocaina do Sul, integra um projeto que envolve também a paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem, com participação de catequistas e do público em geral. O encontro desta semana contou com a presença de cerca de 50 pessoas.

“Esse trabalho tem o intuito de promover espaços seguros de diálogo para a identificação das necessidades da comunidade escolar, da igreja e da população como um todo, em busca de ações que promovam a cultura da paz”, explica o juiz Alexandre Takaschima.

Uma nova atividade está programada para ocorrer no próximo mês. O desejo, de acordo com o magistrado, é que Bocaina do Sul forme seus próprios facilitadores em Justiça Restaurativa para que se torne um programa naquele município.

Na Escola de Educação Básica Nossa Senhora do Rosário, em Lages, o círculo foi formado por alunas, professoras e professores daquela e de outras instituições, pessoas da comunidade e OAB local. Quem chamou a atenção no encontro foi a Moana, uma cachorra de apoio emocional que já faz atividades na Apae e em hospitais.

Tanto a tutora como a veterinária responsável por ela têm o desejo de fazer um trabalho em conjunto com o programa da Justiça Restaurativa de Lages. “Acredito que haja potencial para a participação da Moana como disparador de conversas que envolvem estigmas, rótulos, violências, bullying, entre outros”, avalia o juiz.

O círculo na Escola do Rosário marcou a retomada das atividades. O objetivo é realizar encontros mensais em instituições de ensino parceiras com a abordagem de diversos assuntos para melhoria das relações, como autocuidado, comunicação não violenta, violências etc.

Taina Borges – NCI/TJSC – Fotos: NJR

Leia também

Deixe um comentário

3 + vinte =