Energia limpa gerada pelo PJ em Lages promoveu redução de CO2 e abasteceria 200 casas

Por Luiz Del Moura

Em 2023, o Poder Judiciário catarinense passou a contar com energia elétrica de fonte renovável e de baixo impacto ambiental. A usina fotovoltaica instalada em Lages, na Serra catarinense, gerou 749,72MWh, entre os meses de abril e dezembro, o que contribuiu diretamente na redução de gases do efeito estufa.

No quesito sustentabilidade, a energia solar continua a melhor fonte energética do mundo. Esse tipo de produção de energia auxilia na descarbonização por não emitir nenhum gás poluente, o que possibilita uma melhora na qualidade do ar como um todo.

“A energia elétrica gerada em Lages promoveu a redução de emissões de CO2 pelo total das unidades consumidoras do TJSC vinculadas à Celesc em 4,53%, e se tomadas apenas as unidades beneficiárias a redução ficou em 9,9%”, diz o Diretor de Engenharia e Arquitetura do PJSC, Everton William Tischer.

Outra análise feita com os dados apontados em oito meses de geração mostra que a energia seria capaz de abastecer 208 moradias por um ano. Isto se considerar que uma residência de três a quatro pessoas consome algo em torno de 3,6MWh anualmente.

A usina fotovoltaica em Lages foi entregue em dezembro de 2022. A estrutura começou a operar em fevereiro do ano seguinte, porém o furto de alguns cabos interferiu na geração nos dois primeiros meses.

Taina Borges – NCI/TJSC – Serra e Meio-Oeste

Leia também

Deixe um comentário

3 + nove =