Lages focada no movimento global Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Por Luiz Del Moura

Manutenção de Hortas Comunitárias e incentivo ao método compostagem estão entre as inúmeras iniciativas do Município após adesão ao movimento ODS

Neste ano a Prefeitura de Lages tornou-se uma das entidades signatárias do movimento global Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), representando também os dezoito municípios da região serrana. Desde a sua adesão, inúmeras iniciativas de soluções ambientais e focadas na sustentabilidade vêm sendo reforçadas no Município.

Uma delas é o incentivo e ativação das Hortas Comunitárias, um projeto da Secretaria Municipal de Agricultura e Pesca, em parceria com a Secretaria de Serviços Públicos e Meio Ambiente, através do projeto Lixo Orgânico Zero.

Nesta quinta-feira (24), a equipe do projeto, coordenado por Silvia Oliveira, trabalhou na renovação das mudas da horta do bairro Universitário. Os cuidados com a horta, além da participação da comunidade, têm a parceria com os alunos da Escola S, da unidade do Senai/Lages, que se revezam no plantio e manutenção dos canteiros. Foram plantadas mudas de alface, repolho roxo e cebolinha.

O plantio das mudas contou com a participação da Miss Serra Catarinense, Ândrea Figueiró, de 23 anos, que abraçou a causa ambiental e contribui com a manutenção das hortas comunitárias de Lages e outros projetos ambientais do Município.

Em fevereiro de 2024 ela irá representar a Serra Catarinense no Miss Brasil, então buscou um projeto da sua cidade para que pudesse divulgar para a sociedade. “O meu concurso tem como lema ‘Beleza com Propósito’, então a gente tem como missão fazer algo pelo nosso Estado e pela nossa cidade, contribuindo de alguma forma com a sociedade. Estou aqui como embaixadora e voluntária e para mim é muito gratificante levar este projeto da Serra Catarinense a nível nacional através da divulgação no concurso”, diz.

Em 2021 ela participou do concurso Miss Lages, e no ano seguinte ficou em terceira posição no Miss Santa Catarina, conseguindo assim representar a Serra Catarinense no Miss Brasil, que vai acontecer no ano que vem. Ândrea tem aproximadamente 89 mil seguidores em uma de suas redes sociais, trabalha como modelo e digital influencer. “Através das minhas redes sociais eu consigo não somente participar, mas também conscientizar as pessoas que ainda não tem uma visão de lutar pela preservação do meio ambiente”, comenta.

Hortas Comunitárias são referência em sustentabilidade

Lages conta com mais de 50 Hortas Comunitárias, espalhadas por todas as regiões, desde terrenos anexos às Associações de Moradores, escolas, praças e instituições. O projeto Lixo Orgânico Zero atende mais de 111 instituições, atuando com palestras, oficinas e orientações sobre a compostagem. “Precisamos muito de multiplicadores, e cada cidadão pode fazer parte deste processo”, diz Silvia.

As pessoas da comunidade também podem fazer seus plantios e colher as hortaliças para consumo próprio. O portão não tem cadeado, a regra é que todos estão livres para participar, contribuir e colher os produtos.

A Secretaria Municipal de Agricultura e Pesca fornece as mudas e a Secretaria de Serviços Públicos e Meio Ambiente faz a limpeza externa e os estudantes e a comunidade juntos cuidam da manutenção interna da horta.

O Método Lages de Compostagem, inserido no projeto Lixo Orgânico Zero, já é conhecido a nível internacional. “Temos projetos maravilhosos na causa ambiental, mas a comunidade local precisa conhecer e estar inserida. Precisamos fazer as pessoas refletirem sobre essas questões para que possamos ter um mundo mais sustentável”.

Mês de setembro será voltado ao Movimento ODS

O resultado do plantio nas Hortas Comunitárias, tendo como referência a horta do bairro Universitário, será apresentado durante o evento “ODS na Prática”, que já tem data marcada para o dia 30 de setembro. O local ainda está sendo definido, mas a intenção é que seja realizado no Parque Jonas Ramos, o Tanque.

Instituído pela ONU, durante todo o mês de setembro serão realizadas atividades voltadas para o Movimento ODS. A ideia é que todos os signatários, seja entidades, instituições, pessoas físicas ou jurídicas, apresentem seus desafios e iniciativas. “Precisamos entrar nessa corrente para que as pessoas percebam que temos que olhar para as pessoas, para o planeta e ter prosperidade, mas com sustentabilidade”, diz Silvia Oliveira.

Além da prefeitura, Lages conta atualmente com 67 signatários. “Muitos estão parados. Nosso desafio é justamente ativar e incentivar as práticas e trazer novamente para o movimento e multiplicar os objetivos para que a gente tenha o olhar para a agenda 2030 e possamos colocar em prática”.

 

Texto: Aline Tives

Fotos: Toninho Vieira

Leia também

Deixe um comentário

14 − nove =