Grand Prix SENAI de Inovação busca promover soluções para a Indústria 4.0

Por Revista Expressiva

Focado em desenvolver soluções conectadas ao contexto da indústria, o SENAI realiza o Grand Prix de Inovação, tradicional competição que envolve o desenvolvimento de habilidades socioemocionais, com processos de criatividade, resolução de problemas e prototipagem de ideias dos estudantes. A abertura aconteceu na tarde desta segunda-feira (30) de forma híbrida, conectando todos os participantes do estado. A etapa conta com 165 equipes e mais de 800 alunos. Em Lages e Otacílio Costa, são seis equipes participantes, contabilizando 30 participações.
O evento conta com a parceria da Tupy, empresa referência em tecnologia no ramo da metalurgia, da Associação Brasileira de Internet Industrial – ABI e suas empresas associadas que disponibilizam mentores para auxiliar nos desafios dos alunos. Serão 20 horas para que os participantes encontrem as problemáticas e definam as soluções. Cada equipe será responsável por apresentar uma inovação.
Durante o período de imersão, os alunos terão contato com metodologias de design thinking, modelos de negócios e construção de protótipos. A coordenadora pedagógica da qualidade de educação do SENAI, Marilza Borba Branco, explica que “essa inovação traz o aprendizado do desafio, com a solução das dores das empresas. É um incentivo para os alunos e para as indústrias que podem absorver esses talentos posteriormente”.
Lucas Navarini é aluno de Mecânica de Usinagem e líder da equipe The Kings of Machine. Ele conta que está participando pela primeira vez da competição e que é um desafio compreender as necessidades e buscar as soluções em tão pouco tempo. “Não é para qualquer um, mas com certeza teremos um crescimento profissional e pessoal que fará toda a diferença no futuro”.
O calendário segue durante a semana com a resolução das problemáticas. A semifinal está marcada para quinta-feira (02), com a colocação das seis melhores equipes de Santa Catarina e na sexta-feira (03) às 19h o resultado com as campeãs. A coordenadora Marilza afirma que há possibilidade de o evento entrar para o calendário escolar a partir de 2022.

Por Luan Turcati

Leia também

Deixe um comentário

quatro + 11 =