Sebrae oferece palestra sobre o valor do artesanato para desenvolvimento do turismo

Por Luiz Del Moura

A importância do artesanato para o desenvolvimento do turismo foi evidenciada durante palestra, em Urupema, recentemente, ministrada pelo consultor terceirizado em turismo, pelo Sebrae, Roni Rodrigues de Brito. Na abertura, definiu claramente o que é o turismo e como funciona na região. Na sequência, a abordagem avançou para a introdução do artesanato utilizando temas de atrativos naturais ou artificiais do turismo local, como forma de aproveitar a produção associada ao desenvolvimento prático do turismo.

Conforme Roni Explica, o artesanato é um dos fatores fundamentais para o avanço e o desenvolvimento turístico, pois, durante as visitações, se percebe que o turista gosta de levar souvenirs (lembrancinhas). A compra gera uma movimentação econômica no setor com efeitos diretos, indiretos e induzidos na economia local, gerando empregos, aumento de renda, e mobilidade social. “É muito importante que o dinheiro do turista fique no município e gire localmente a economia”, afirmou o consultor.

Na ocasião, também foi efetivada uma dinâmica entre os participantes, relacionada aos impactos econômicos, resultante da prática do turismo e o aumento de renda, a partir, principalmente, da produção do artesanato. Um fator que leva em conta a situação das pessoas, que podem, inclusive, trabalhar em outro lugar, e ainda agregar outra fonte de renda confeccionando peças artesanais. A orientação, leva em conta também, os impactos ambientais.” Ao invés do turista arrancar flores para levar, se tiver um artesanato para oferecer para ele levar como lembrança de Urupema, a situação será outra”, explica Roni.

São ações como essas que favorecem o turismo sustentável. É dessa forma que deve ser desenvolvido o turismo, sempre pensando nas gerações futuras. Trata-se de aproveitar as oportunidades que o segmento oferece, e procurar desenvolver atividades paralelas e crescer ainda mais, preservando as condições estéticas e sanitárias do meio ambiente.

Portanto, entre as sugestões, a criação de uma associação ligada ao turismo, que possa resolver situações simples. Por exemplo, quando se fala em neve, tem turista dormindo até no carro, então nesses dias é que se tem uma grande oportunidade de venda e os artesãos tem que estar preparados para suprir essa demanda”, disse.

Artesanato no Brasil

Um dos mercados amplamente beneficiados pela ascensão da economia criativa no Brasil foi o de artesanato. Segundo dados IBGE de 2019, o setor movimenta cerca de 50 bilhões por ano no país e é fonte de renda para aproximadamente de 10 milhões. Essa receita é referente, principalmente, a pequenos negócios, sendo a formalização o principal desafio no setor. Ainda de acordo com o IBGE, apenas 40% dos negócios de artesanato possuem CNPJ. No entanto, nos últimos anos, passaram a existir cada vez mais exemplos de empresas que conseguiram aliar industrialização e prática artesanal, tornando-se mais competitivas, sem perder o apelo criativo e emocional de suas criações.

Assessoria de Imprensa Sebrae Serra

Leia também

Deixe um comentário

1 × um =