Fapesc articula convênio com o Conselho de Pesquisa Agrícola e Análise Econômica Agrária da Itália

Por Luiz Del Moura

A Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc) está articulando um convênio com o Conselho de Pesquisa Agrícola e Análise Econômica Agrária (CREA) da Itália. “O objetivo é fomentar pesquisa e inovação através de cofinanciamento Fapesc – CREA/Itália para o desenvolvimento e registro de cultivares na área da fruticultura”, explicou o Diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação da Fapesc, Amauri Bogo, que esteve na Itália para alinhar o convênio.

A Fapesc foi convidada a participar de uma comitiva da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), que esteve na Itália entre os dias 9 e 17 de abril. Há 10 anos a universidade estadual possui uma parceria com o CREA/Itália, sendo responsável pela introdução e comercialização de novas cultivares de morango e, futuramente, de maçã no Brasil.

O projeto é liderado pelo professor Leo Rufato, do Curso de Agronomia, pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Produção Vegetal e coordenador do Grupo de Fruticultura do Centro de Ciências Agroveterinárias (CAV/Udesc). O vice-reitor da Udesc, Luiz Antonio Ferreira Coelho, também esteve na Itália para acompanhar os procedimentos legais e administrativos a serem gerenciados pela universidade.

A comitiva foi recebida pelo diretor-geral do CREA/Itália, Enzo Perri, e pelo diretor do Centro de Pesquisa em Oliveria, Fruticultura e Citricultura do CREA/Itália da cidade de Forlì,  Gianluca Baruzzi. “A parceria Udesc/CREA e, em breve a Fapesc, trata para o mercado da fruticultura catarinense o que há de melhor em matérias genéticas e cultivares mais eficientes e produtivas. Cumprindo com a missão e objetivos da  Fapesc, temos interesse no apoio e fomento  de outros projetos com o CREA/Itália e, para tanto, o convênio de cooperação com o CREA/Itália foi um dos temas principais da viagem à Itália. Temos interesse em lançar chamadas públicas em conjunto com o CREA/Itália para diferentes áreas, além de morango e maçã”, disse Bogo.

Em fevereiro a Fapesc também apoiou o 6º Field Day on Rootstocks from CG Series e o 8º Giro Técnico, que reuniu pesquisadores nacionais e internacionais para debater sobre fruticultura em Santa Catarina e no Brasil, especialmente para o setor de maçãs. Esses eventos também são iniciativas do Grupo de Fruticultura do Centro de Ciências Agroveterinárias (CAV) da Udesc.

Maurício Frighetto/Assessoria de Imprensa/Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de SC

Leia também

Deixe um comentário

10 − 2 =