Selo Serra Catarinense Sustentávelcomeça a apresentar resultados positivos em relação à sustentabilidade

Por Luiz Del Moura

O projeto é organizado pela Amures, Cisama e Sebrae e prospecta certificar com o Selo cerca de 70 empresas

A partir deste trabalho as empresas de turismo estão contribuindo muito para a preservação do meio ambiente, a partir dos focos voltados para os quatro pilares da sustentabilidade: econômica, ambiental, sociocultural e político-institucional. Além do meio ambiente, preserva também a paisagem e a cultura do povo serrano. O Selo Serra Sustentável tem avançado e já apresenta resultados positivos no tocante à sustentabilidade. Várias empresas já estão em conformidade com os pilares, na prática, a exemplo dos cases relacionados abaixo:

Tribo da Serra (Bom Jardim da Serra)

Ações relevantes: conscientização ambiental com intuito de melhorar a visibilidade da empresa. Destaque às ações sustentáveis, tais como, a criação de material digital de conscientização. Além disso, reciclou tambores para converter em lixeiras e colocou na frente da empresa; comunicou de forma física e nas redes sociais incentivando vizinhos; ativou blog usando mais #sustentabilidade e ações novas praticadas. O resultado foi o aumento de seguidores e uma maior visibilidade por conta das lixeiras, tanto no meio físico, quanto online.

Polinize – Bom Retiro

Além de ter um cuidado com a recuperação das florestas de bracatinga, aroeira e plantas nativas, com a intenção de melhorar na recuperação das florestas, além de reduzir a quantidade de veneno no solo, a empresa realizou a implementação de agro florestas. O trabalho envolveu convite a apicultores para trabalhar cursos de capacitação, com o objetivo de recuperar florestas; mostrando a importância das árvores de bracatinga e aumentando a produção do mel na região.

Cachoeira do Papuã – Urubici

Possui um projeto com passarela para cuidar da natureza e acessibilidade. Inseriu a coleta seletiva que até então não possuía, ampliando o trabalho de conscientização dos colaboradores. Também evidenciou o sistema de esgoto ETEL (Estação de Tratamento da Ecoracional que produz água de reuso para fins não potáveis). Implantou equipamento em que passam todos os dejetos devolvendo a água 90% limpa para a natureza. Implementou a automatização na cobrança de ingressos, contribuindo na redução de papéis/ingressos, facilitando a melhoria da quantidade de fluxo e o controle de visitantes.

O avanço do Selo Serra Catarinense Sustentável tem o respaldo dos prefeitos. Evidencia-se assim, a parceria entre o setor público e privado como caminho para tornar o turismo cada vez mais sustentável e dentro dos princípios de desenvolvimento econômico, social e ambiental. A meta é de certificar na região cerca de 70 empresas de turismo em 2023. Todo o trabalho discorre a partir de uma metodologia utilizada para identificar e qualificar os empreendimentos na Serra Catarinense, dentro da concepção da sustentabilidade.

Fotos: divulgação

Assessoria de Imprensa Sebrae Serra

Leia também

Deixe um comentário

dez + catorze =