Usina de Asfalto do Cisama começa a ser instalada no bairro Ferrovia

Por Luiz Del Moura

As máquinas da usina já estão instaladas, o que falta para completar o equipamento é a subestação de energia elétrica e rampa de acesso aos materiais agregados, com os quais é produzido o asfalto

O engenheiro Jeferson Vieira, responsável pela usina, informa que a empresa fornecedora das máquinas fará o treinamento do pessoal que operará todo o equipamento, mas isso ainda não tem data definida para ocorrer. “A inauguração da usina só poderá ser marcada depois deste treinamento”, fala Jefferson Vieira.

A usina é um projeto do Consórcio Intermunicipal Serra Catarinense (Cisama), ao qual estão associados os 18 membros da Associação dos Municípios da Região Serrana. A grande vantagem da usina, além da produção local da matéria-prima, será o fornecimento de asfalto com custo final de até 35% abaixo do valor de mercado.

A usina está sendo construída em Lages, no bairro Ferrovia (loteamento Novosul), em terreno de 7.115 metros quadrados cedido pela Prefeitura deste município. Além de ceder o terreno, o município de Lages fez a concessão de uso da estrutura de concreto armado de um barracão de 1.200 metros quadrados, para instalação da usina.

A compensação à Prefeitura de Lages será feita pelo Cisama por meio de entrega de massa asfáltica até alcançar o valor estimado investido. “Este projeto teve um orçamento em torno de R$ 9 milhões, recursos provenientes do programa SC+Asfalto lançado pelo Governo do Estado de Santa Catarina”, fala o engenheiro do Cisama.

Já foram comprados os seguintes maquinários e equipamentos: Usina de Asfalto; Vibro acabadora; Rolo Compactador; Caminhão Espargidor; Caminhão de Pintura e Sinalização de Trânsito. E já foi licitado o equipamento elétrico para a substação de energia.

Capacidade de Produção

A Usina do Cisama terá capacidade de produzir 120 toneladas de asfalto por hora, ou seja, em média 800 toneladas por dia, quantidade equivalente a um quilômetro de asfalto.

Segundo explica o engenheiro civil do Cisama, Jefferson Vieira, para a composição da massa asfáltica são misturados os seguintes elementos: agregado pétreo; pó de brita e brita; pedrisco e Cimento Asfáltico Petróleo (CAP).

Depois de pronto, amostras do asfalto produzido serão levadas para os laboratórios da Uniplac para a certificação de qualidade. “A usina está sendo muito esperada, pois ela possibilitará a produção de asfalto com menor custo, ou seja, poderemos fazer muito mais obras de pavimentação em toda a cidade”, destaca o prefeito Antonio Ceron.

 

Texto e fotos: Iran Rosa de Moraes

Leia também

Deixe um comentário

8 − 2 =