Chuva intensa diminui visitas aos cemitérios no Finados

Por Luiz Del Moura

A quinta-feira (02) amanheceu com chuva torrencial na Serra Catarinense, e deve seguir assim também na sexta-feira (03), segundo a Meteorologia, o que prejudicou o período matinal as visitas aos cemitérios neste Dia de Finados

Se a quarta-feira (01) foi de tempo bom, com aberturas de sol, o feriadão de Finados começou com chuva, tendo sido registrado chuva forte durante toda a madrugada, de acordo com a Defesa Civil. Por isso mesmo a afluência de público foi bastante reduzida no período da manhã, conforme observou-se nas portarias dos cemitérios.

Mesmo com a chuva, as sepulturas mais visitadas foram as dos cinco principais milagreiros de Lages: irmãos Canozzi, Cigana Sebinca Christo, Menina Salete, Aline Giovana Schmitt e Frei Silvério, todos sepultados no Cemitério Cruz das Almas.

Prece para os Irmãos Canozzi

A história conta que eles eram dois colegas caixeiros viajantes, e que foram assassinados na região da Coxilha Rica, em 1902. “É uma história maravilhosa, a qual tenho estudado há mais de 50 anos e sempre venho no túmulo deles para acender velas e trazer flores”, conta Nilson de Oliveira, 69 anos, morador do bairro Conta Dinheiro.

Cruz das Almas tem 125 anos

O segundo maior cemitério público urbano de Lages é o Cruz das Almas, situado no Bairro Santa Rita, entrou em operação há 125 anos, tendo seu registro datado de 1898 e tem 3.900 jazigos. Ocupa uma área de 38.824 m² e possui em média 10 sepultamentos mensais.

10 cemitérios

Ao todo são 10 os cemitérios públicos geridos pela Prefeitura de Lages, sendo três deles na área urbana (Cruz das Almas, Nossa Senhora da Penha e da Paz), e sete nas localidades do Interior (Índios, Macacos, Mirante, Pedras Brancas, Segredo, Rancho de Tábuas, Santa Terezinha do Salto).

Penha tem 60 mil m²

O Cemitério Nossa Senhora da Penha, situado no Bairro da Penha, está em operação há aproximadamente 65 anos, ocupando uma área aproximada de 60.817 m², e com média de 50 sepultamentos mensais, sendo o maior cemitério público urbano da cidade, com aproximadamente 12 mil jazigos.

E para poder atender a todos, a Prefeitura disponibilizou duas vans, as quais estão fazendo o transporte de pessoas portadoras de necessidades, como também de idosos. É o caso de Mario Meira, de 89 anos, morador do bairro Copacabana, e que estava com a esposa e filhos. “Pela primeira vez estou utilizando esse transporte e que foi muito bom, pois facilitou a visita ao túmulo da minha mãe, que está há nove anos sepultada aqui”, afirmou.

Da Paz, o mais novo

Ocasionado pela lotação dos cemitérios Cruz das Almas e Penha, o município adquiriu um cemitério que era de propriedade particular, no bairro Guarujá, no ano de 2021, passando então a denominar-se Cemitério Municipal da Paz, tendo uma projeção de 4.800 jazigos, dos quais cerca de 1.500 já foram comercializados os espaços (jazigos).

Em um desses jazigos está sepultada a mãe de Ivone, casada com Iraci Antonio de Medeiros, moradores do Centro de Lages. Ele conta que há dois anos eles vêm visitar o túmulo da sogra e gostam de participar da Missa, “neste ano não pudemos participar por conta da chuva, mas oramos em casa”.

Movimentação

Desta forma, nos Campos Santos de Lages, a movimentação do Dia de Finados ficou bastante prejudicada, com poucas pessoas afluindo aos cemitérios públicos, além do cemitério privado (Parque da Saudade).

Texto: Milton Barão

Fotos: Nilton Wolff

Leia também

Deixe um comentário

doze − cinco =