Mercado Público de Lages ganha seu restaurante

Por Luiz Del Moura

Inaugura nesse sábado (8 de outubro), no Mercado Público Municipal de Lages, às 11 horas, o restaurante Supremo Sabor, de dois jovens empreendedores, por sinal gêmeos, nascidos em Lages, mas que desde a infância residem em Palhoça.

Supremo Sabor

Com um cardápio variado, que vão desde pratos executivos, a grelhados, filés, frangos e massas, como também as porções de aperitivos e tábuas de frios, que incluem frutos do mar, como camarão, salmão e outros peixes, até os tira-gostos para o happy hour, que são os famosos bolinhos de bacalhau, de siri, de feijoada, pastéis de camarão e as famosas casquinhas de siri. Isso tudo sem falar dos eventos de finais de semana, como a tradicional Feijoada de Sábados, ou Entrevero, Dobradinha ou a Paçoca de Pinhão. “São alguns pratos que já servimos em nossa matriz, em Palhoça, mas que estamos adaptando o cardápio para que fique bem ao gosto da família lageana e serrana” diz Welerson Machado Vieira, um dos gêmeos, e que vai administrar o restaurante do Mercado Público.

O horário de funcionamento acompanha o Mercado, ou seja, de segunda a segunda (inclusive aos domingos), das 11h até às 22 horas. Nos domingos fecha um pouco mais cedo, às 20h. Para o funcionamento, o empresário trabalha com uma equipe de quatro pessoas na cozinha e mais os garçons, já que pretende atender nas mesas também, “isso sem falar no Buffet dos finais de semana, onde as pessoas irão se servir”, complementa Welerson Vieira.

Licitação

Aguardado com expectativa desde a inauguração do Mercado, no dia 04 de dezembro de 2021, a licitação para o restaurante previa sua abertura já nessa data, “tanto que foram feitas três licitações que deram desertas, e somente na quarta é que houve interesse e, aliás, não foi de uma única proposta, mas de quatro concorrentes”, explica o executivo do Mercado, Amauri Bacci. O contrato é de 10 anos.

Gêmeos empreendedores

Nascidos em Lages, Wellerson e Emerson foram ainda crianças com os pais para o litoral catarinense. E desde muito cedo começaram a trabalhar, sempre juntos. “Com 15 anos a gente já estava trabalhando numa padaria e depois trocamos de emprego, e sempre juntando dinheiro, pois tínhamos um sonho, o de abrir nosso próprio negócio”, diz o jovem empresário.

Por Milton Barão

Leia também

Deixe um comentário

quinze − 8 =