Curitibanos abre oficialmente a colheita da uva – safra 2022/23

Por Luiz Del Moura

O Sebrae da Serra Catarinense atua como forte apoiador ao lado de entidades e empresas como a Epagri, a Prefeitura, a Associação dos Produtores e a UFSC – Campus de Curitibanos, entre outras.

O Mercado Público Municipal de Curitibanos foi o lugar escolhido para a cerimônia de abertura da colheita da uva, realizada na manhã deste sábado (11). Em paralelo, a Feira do Produtor Rural. O evento promovido pela Associação dos Produtores de Uva de Curitibanos (Apruvac) e estimulado pela Prefeitura, conta com a parceria de diversas entidades, empresas e instituições, entre elas o Sebrae da Serra Catarinense. Até o final da safra da uva, no mês de março, os produtos derivados da uva vão permanecer expostos e à venda. Participaram da cerimônia de abertura inúmeras autoridades ligadas ao setor e do meio político da região.

O prefeito de Curitibanos, Kleberson Lima, explicou que a fruticultura no município é uma atividade importante na geração de renda e emprego. O projeto de incentivo à produção de uva do município teve início em 2013, através da disponibilização de mudas de videira e o apoio técnico em parceria com a Epagri. Funciona como alternativa de incremento à produção e fomento à economia local. “Esta é nossa primeira apresentação social, numa mostra de que a cada ano estamos melhorando a produção e a qualidade da uva em Curitibanos”, salienta.

Jumara Verônica Ternus responsável pelo projeto Agente Local de Inovação (ALI) do Sebrae no município e região salienta que aproximadamente 80 famílias estão envolvidas na produção de uva. Além disso, se forem levadas em consideração as cinco cidades da Associação dos Municípios da Região do Contestado (AMURC), a produção da uva passa de 500 toneladas por ano, gerando uma receita superior a R$1 milhão. “Um dos fatores que contribui para a expansão da cultura da uva é que Curitibanos está inserido na Identificação Geográfica dos Vinhos de Altitude, para a produção de vinhos finos”, ressalta.

Cultura como complemento da renda

A produção de uva no município passa a ser uma cultura complementar da renda, principalmente dos pequenos agricultores. A vereadora e produtora rural Vilma Fontana Maciel foi pioneira no plantio da uva, e atualmente cultiva diferentes variedades. Também é dela a iniciativa de implantar na propriedade o sistema colhe e pague, em que o visitante pode visitar e degustar. “Hoje o que estamos vendo é o sucesso de quem persevera e acredita na diversidade de culturas. É uma alegria para nós vermos um projeto que começou tímido e agora tomou corpo, graças ao incentivo da prefeitura aos produtores”, evidencia dona Vilma.

Crédito fotos: Paulo Chagas

Leia também

Deixe um comentário

4 × 3 =