Motores e produtos de madeira são destaques nas exportações de janeiro

Por Luiz Del Moura

Com incremento de vendas ao exterior superior a 30% em janeiro de 2024 em relação a igual período do ano passado, os setores de motores elétricos e madeireiro – que inclui móveis, obras de carpintaria e madeira serrada – foram os principais destaques positivos da balança comercial catarinense no primeiro mês do ano.

“Esses segmentos tradicionalmente são representativos na pauta de exportações de Santa Catarina e a recuperação gradual das vendas ao exterior nos anima, porque podem acabar refletindo na manutenção e geração de empregos”, destaca o presidente em exercício da Federação das Indústrias de SC (FIESC), Gilberto Seleme.

Foram vendidos ao mercado externo US$ 40,3 milhões em motores elétricos em janeiro, enquanto as exportações de móveis somaram US$ 19,2 milhões, as de madeira serrada US$ 25,8 milhões, e as de obras de carpintaria, US$ 24 milhões.

O desempenho é decorrente do aumento nas compras desses produtos pelos EUA e reflete o aumento da demanda de curto prazo com origem nas casas unifamiliares e também o impacto dos incentivos do governo norte-americano a obras, avalia a economista do Observatório FIESC, Mariana Guedes. “Também observamos o aumento das vendas de motores para outros países, além dos EUA. Argentina, Itália e Austrália estão entre os destinos que incrementaram compras de SC”, afirmou.

As exportações de carnes de aves somaram US$ 138,3 milhões e as de carne suína atingiram US$ 110,8 milhões. Os dois setores lideraram as vendas externas catarinenses em janeiro de 2024.

Balança comercial

As exportações totais de Santa Catarina somaram US$ 852 milhões e as importações totalizaram US$ 2,7 bilhões, o que gerou um déficit de US$ 1,8 bilhão na balança comercial do estado em janeiro de 2024. Os números são praticamente estáveis em relação a janeiro de 2023.

As importações catarinenses cresceram 12,7% em janeiro deste ano, em comparação com igual período de 2023. A economista do Observatório FIESC destaca que o recuo nos preços internacionais de produtos tradicionalmente representativos nas importações de SC foi um incentivo à maior demanda. “Dos dez principais produtos importados pelas empresas catarinenses, oito mostraram queda no seu preço médio, com destaque para os semicondutores e polímeros de etileno”, informou.
“Outro destaque é o aumento das importações de insumos para a produção de bens de capital, especialmente para a fabricação de equipamentos elétricos e máquinas e equipamentos”, afirmou a economista.

Destinos

Os Estados Unidos seguem como o principal destino das exportações catarinenses em janeiro de 2024, com compras 17,3% maiores em relação ao primeiro mês de 2023. As vendas para os EUA somaram US$ 131,7 milhões, contra US$ 112,3 milhões de janeiro de 2023.

O mercado norte-americano é o principal comprador dos dois segmentos que mais cresceram – motores elétricos e produtos de madeira – e corresponde a 15,5% do total exportado por SC no primeiro mês do ano.

A China segue como segundo maior comprador de produtos catarinenses, mas apresentou queda de 34,8% em janeiro de 2024 contra igual período de 2023. No primeiro mês deste ano, as compras chinesas representaram 10,1% do total exportado por SC, somando US$ 86,3 milhões.

Origens

Do total das importações catarinenses, US$ 1,2 bilhão têm origem na China, que lidera o ranking entre os países que mais vendem para SC. Na sequência estão os Estados Unidos (US$ 187,2 milhões), Chile (US$ 148,5 milhões), Alemanha (US$ 123,8 milhões) e Argentina (US$ 84,2 milhões).

Leia também

Deixe um comentário

três × dois =