Sicredi é reconhecido como uma das instituições que mais fomenta o agro no país

Com mais de 120 anos de história, possui mais de 200 pontos de atendimento em SC.

Por Claudio Santos

O Sicredi, instituição financeira cooperativa com mais de 7 milhões de associados no Brasil, nasceu do agro e há mais de 120 anos oferece soluções financeiras que fazem o campo prosperar. Em Santa Catarina, contabiliza mais de 490 mil associados e conta com mais de 200 pontos de atendimento. Reconhecida como uma das instituições que mais fomentam o agronegócio no país, o Sicredi oferece aos agricultores linhas de crédito, seguros, consórcios, investimentos e muito mais.
O Plano Safra 2022/2023, que disponibiliza recursos para o meio do crédito rural aos produtores, encerrou o período com mais de 15,5 mil operações realizadas em Santa Catarina. Em volume concedido, o valor liberado foi de R$ 1,8 bilhão, aumento de 53% em relação ao ciclo anterior. Quanto ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), o financiamento chegou a R$ 630 milhões, ou mais de 35% do total de operações liberadas pelo Sicredi. Esses são dados que confirmam o protagonismo do Sicredi no desenvolvimento das regiões em que está presente.
Com área de atuação no norte do Rio Grande do Sul e oeste de Santa Catarina, a Sicredi Altos da Serra RS/SC se orgulha dos quase 30 mil associados em solo catarinense e fomenta a transformação digital e busca constantemente criar oportunidades de conexão entre associados e as mais novas tendências tecnológicas. Um exemplo disso é a parceria com o AgTechGarage desde 2018 – um dos maiores hubs de inovação da América Latina para o agrobusiness -, com o objetivo de ser uma ponte que conecta as necessidades dos produtores associados com as soluções tecnológicas.
Além de apoiar o agricultor no seu dia a dia, a Instituição Financeira Cooperativa também se preocupa com o impacto positivo na sociedade. Exemplo disso é o Relatório de Sustentabilidade 2022, em que o Sicredi apresenta as principais ações e resultados obtidos ao longo do ano com base nas práticas ambientais, sociais e de governança (da sigla ESG – environmental, social e governance, em inglês). Conforme a publicação, em nível nacional, a instituição destinou R$ 34,2 bilhões em 2022 em linhas de crédito alinhadas à Economia Verde – relacionadas à melhoria do bem-estar das pessoas, à igualdade social e à redução dos riscos ambientais e escassez ecológica. O montante representa um crescimento aproximado de 24% em comparação com 2021.
Entre os destaques dos produtos alinhados à Economia Verde está a liberação de R$ 12,5 bilhões para a Produção Rural Familiar. Também foram concedidos cerca de R$ 8,3 bilhões para a
Agricultura de Baixo Carbono e R$ 6,1 bilhões para linhas voltadas à Energia Renovável e Sustentabilidade Ambiental. Vale destacar que o Sicredi utiliza como base a metodologia de taxonomia verde da Febraban, a qual considera critérios setoriais, de linhas e programas de financiamento com benefícios ambientais e sociais, permitindo maior padronização nas mensurações do sistema financeiro nacional.
Inclusão Financeira
O Sicredi divulgou, em junho deste ano, o quarto estudo da série “Benefícios do Cooperativismo de Crédito”, denominado “A Efetividade do Cooperativismo”. Com o objetivo de analisar relevância do atendimento físico para a inclusão financeira, constatou-se que a presença física segue importante para a inclusão financeira efetiva da população, mesmo no atual contexto de crescente digitalização. O estudo também utilizou os dados do Sistema de Informações de Crédito, gerido pelo Banco Central, e verificou que a inclusão promovida pela atuação das cooperativas de crédito em municípios desassistidos permitiu o acesso a volumes maiores de crédito durante o tempo de associação.

Leia também

Deixe um comentário

15 − 8 =