Servidores da Casa participam de dinâmica sobre a saúde do homem

Por Luiz Del Moura

Em atendimento ao convite feito pela Procuradoria Especial da Mulher da Câmara de Lages, o enfermeiro André Roberto Faria e o psicólogo Guilherme Secchi estiveram na sede do Poder Legislativo no dia 26 de novembro para uma dinâmica sobre a saúde do homem com os servidores da Casa. A iniciativa foi promovida em alusão ao Novembro Azul, mês de cuidado e prevenção ao câncer de próstata, o segundo que mais afeta os homens brasileiros depois do câncer de pele, mas a palestra foi mais abrangente no sentido da saúde global do indivíduo.

Os palestrantes suscitaram aos presentes o que cada um entende como “ser homem” e o quanto cada um reserva para o autocuidado como exercícios físicos, hobbies, ingestão de água e alimentação equilibrada. Segundo eles, o número de acidentes cardiovasculares em Lages tem aumentado muito nos últimos anos, em diferentes faixas etárias, mas quase sempre decorrentes da falta do cuidado próprio. André Faria contou que ele mesmo quase morreu devido a uma série de fatores que envolviam o constante estresse da rotina de trabalho, a má-alimentação e o consumo diário de bebida alcoólica. Além disso, o uso de cigarro é outro agravante para acidentes desta natureza.

Os profissionais recomendaram que todos, se possível, tirem as chamadas “férias de um dia” para que a pessoa possa fazer o que goste, uma vez que isso reflete em saúde e bem-estar e até mesmo na maior produtividade no ambiente de trabalho. Também alertaram sobre o cuidado preventivo que o homem precisa ter, algo que é mais costumeiro com as mulheres. “O homem precisa se cuidar como a mulher. Isso não é frescura, é se importar consigo mesmo e ter um controle sobre a própria saúde, prevenindo situações que se não diagnosticadas a tempo podem levar a morte”, comenta Secchi.

Mais especificamente sobre o AVC, eles falaram sobre a Escala de Cincinnati, que consiste em um modelo de ações básicas – falar, sorrir e levantar o braço – aos quais se a pessoa não consegue articular, já pode ser um indício de que esteja sofrendo um acidente cardiovascular e deve ser conduzido imediatamente ao hospital de urgência e emergência, o HNSP, no caso de Lages. O homem também precisa ficar atento aos fatores de risco como idade elevada, histórico familiar, sobrepeso e obesidade, que são agravantes para a incidência do AVC.

Além dos servidores da Câmara, participaram da atividade as vereadoras Elaine Moraes e Katsumi Yamaguchi (também componentes da Procuradoria da Mulher) e os vereadores Agnelo Miranda, Enio do Vime, Gerson Omar dos Santos, Leandro do Amendoim e Tio Zé.

Mais sobre os profissionais

André Roberto Faria é formado em Enfermagem pela Uniplac em 2007, tecnólogo em Processos Gerenciais, pós-graduado em Gestão Hospitalar e Neurologia, e mestre em Ambiente e Saúde. Atua na unidade de AVC do Hospital Nossa Senhora dos Prazeres (HNSP) e no Centro Especializado em Reabilitação (CER) da Uniplac.

Guilherme Secchi é formado em Psicologia pela Uniplac em 2009, pós-graduado em Psicologia Organizacional e Gestão de Pessoa, mestrando do programa de Pós-graduação em Ambiente e Saúde pela Uniplac. É psicólogo clínico e também atua no Centro Especializado em Reabilitação (CER).

Texto e fotos: Everton Gregório – Jornalista/Comunicação – Câmara de Lages

Leia também

Deixe um comentário

dezoito − 7 =