Meio Ambiente: Projeto lageano com foco na compostagem participa de debate na Alesc

Por Luiz Del Moura

O objetivo do projeto Lixo Orgânico Zero é alcançar a compostagem doméstica de no mínimo 40% das residências no território urbano de Lages

O projeto Lixo Orgânico Zero, com foco na sustentabilidade através da compostagem de materiais orgânicos, foi inserido na programação do painel “Experiências de compostagem em municípios catarinenses e a importância do uso do composto para jardinagem e produção de alimentos saudáveis”. O evento foi realizado nesta quarta-feira (27), no plenarinho da Assembleia Legislativa de Santa Catarina – Alesc, em Florianópolis.

O painel tem como objetivo disseminar a compostagem como uma forma de tratamento descentralizado dos resíduos orgânicos, através de experiências exitosas promovidas em Santa Catarina, bem como trazer elementos para o uso de forma segura do composto orgânico, visando fortalecer a rede de agricultores no entorno das cidades. O evento fez parte da programação do 6º Curso de Gestão Comunitária de Resíduos Orgânicos e Agricultura Urbana, do Cepagro, e contou com o apoio da Alesc.

O objetivo do projeto Lixo Orgânico Zero é alcançar a compostagem doméstica de no mínimo 40% das residências no território urbano de Lages. Atualmente conta com a adesão de 111 instituições, entre escolas públicas e privadas, Centros de Referência em Assistência Social (CRAS), orfanatos, presídio, empresas privadas, condomínios, espaços públicos e residências, que aderiram e abraçaram a causa.

O projeto Lixo Orgânico Zero começou as atividades em 2018, uma iniciativa da Prefeitura de Lages. É desenvolvido através da parceria entre a Secretaria Municipal de Serviços Públicos e Meio Ambiente, Secretaria Municipal de Agricultura, Secretaria Municipal da Saúde, juntamente com outras instituições, como o Centro de Ciências Veterinárias (CAV/Udesc), Orion Parque, empresas Klabin, Ambev, entre outros parceiros. “Hoje Lages é referência, sendo premiado em 2019 e 2020, também tivemos uma apresentação em Portugal, recebemos visitas de representantes de várias cidades e até do exterior, e prestamos orientações através de palestras, oficinas, lives, mostras e seminários. Todos nós somos responsáveis pelo lixo que produzimos e podemos fazer a nossa parte”, relata a diretora de Meio Ambiente da Prefeitura de Lages, Silvia Oliveira.

 

Texto: Aline Tives

Fotos: Rodolfo Espínola / AgênciaAL

Leia também

Deixe um comentário

dezesseis − quatro =